INMAG | Todos os direitos reservados.

Hi, what are you looking for?

Notícias

Bolsonaro vira réu por incitação ao estupro

De acordo com decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), nesta terça-feira (26), o ex-presidente Jair Bolsonaro se tornou réu na acusação de incitação ao crime de estupro.

A denúncia, aceita pelo juiz Omar Dantas de Lima, decorreu de uma interação entre Bolsonaro e a deputada Maria do Rosário em 2003. Na ocasião o ex-presidente, à época deputado, afirmou que Maria não merecia ser estuprada por considerá-la “feia” e por não ser “seu tipo”.


Jair Bolsonaro diz que Maria do Rosário não merece ser estuprada por “ser feia”. (Vídeo: Reprodução/Youtube).


Réu em 2016

Em junho de 2016, Jair Bolsonaro foi oficialmente acusado em duas ações relativas ao caso. Na época, a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, por quatro votos a um, que o ex-presidente não somente teria incitado a prática do estupro, como ofendido a honra da deputada.

Entretanto, em 2019, quando Jair Bolsonaro se tornou presidente, a acusação foi suspensa – com base na imunidade garantida pela constituição, que exonera, durante o mandado, os chefes de estado de processos anteriores.

Já em 2023, após o fim do governo Bolsonaro e da imunidade do ex-presidente, o ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou o envio das acusações para a Justiça do Distrito Federal, que agora decidiu por tornar Jair Bolsonaro réu novamente. Desta vez, contudo, o ex-presidente será acusado em somente uma das ações, já que a de injúria foi considerada como prescrita.

“A perseguição não para”, afirma Jair Bolsonaro

Para o ex-presidente, a reabertura da ação é baseada em “perseguição”. “Fato de 2014. A perseguição não pára”, afirmou Jair Bolsonaro em suas redes sociais.

“Fui insultado, me defendo e mais uma vez a ordem dos fatos é modificada para confirmar mais uma perseguição política conhecida por todos”, completou Bolsonaro.

De acordo com a colunista do UOL News, Carla Araújo, a resposta de Jair Bolsonaro sobre a decisão do TJDFT demonstra que, mesmo após 10 anos da violência contra Maria do Rosário, o ex-presidente não realizou quaisquer reflexões sobre sua atitude – classificada por Araújo como “machista, misógina e totalmente deplorável” – e segue criticando a justiça.

Foto destaque: Jair Bolsonaro e Maria do Rosário em sessão sobre violência contra a mulher. Reprodução/Brasil de Fato.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Empreender na Prática

Não há contradição entre frescor, relaxamento e bem-estar. Na rotina de self-care, os body splashes se tornaram protagonistas quando assunto é refrescar o corpo...

Saúde e Bem Estar

A Massagem Nuru é uma prática terapêutica que tem origem no Japão e se tornou cada vez mais popular em diversos países, incluindo o...

Celebridades

O cantor foi fotografado ao lado da esposa Bianca Censori. Ele estava mascarado e ela nua, sob uma capa de chuva transparente.

Magazine

Quem conhece Nicole Bahls, sabe que ela é babado, confusão e alegria, por onde passa deixa seu rastro de carisma e felicidade. Nicole é...