INMAG | Todos os direitos reservados.

Hi, what are you looking for?

Notícias

Naufrágio no Pará que matou 23 pessoas completa um ano

Naufrágio no Pará que matou 23 pessoas completa um ano

Nesta sexta-feira (8), completou um ano do naufrágio próximo à ilha Cotijuba, de Belém. No caso, de repercussão nacional, faleceram 23 pessoas, cujos familiares e amigos – além de sobreviventes – hoje seguem ainda buscando respostas sobre o incidente.

Entre as perguntas sobre a Justiça, são frequentes os questionamentos sobre a localização da lancha; sobre o comandante da embarcação Dona Lourdes II, Marcos Oliveria, que ainda segue em liberdade; e sobre efetivas melhorias nas condições do transporte fluvial do qual ainda dependem para se locomover. Na época, a empresa responsável pela lancha, que saiu de um porto clandestino no Marajó com destino a Belém, retirou o barco do fundo do rio de forma sigilosa, realizando um processo de reflutuação sem autorização da Capitania dos Portos da Amazônia Oriental (CPAOR) em 17 de fevereiro deste ano.

Até o momento, ela não foi encontrada para investigação.


Naufrágio no Pará que matou 23 pessoas completa um ano

Monica Seabra perdeu a irmã, Brenda Seabra, e a sobrinha, Lívia Seabra, de dois anos, no naufrágio. (Foto:Reprodução/Thiago Gomes/O Liberal)


Depoimentos

Completando o primeiro ano do naufrágio, a TV Liberal hoje realiza duas reportagens especiais – a serem exibidas nas próximas segunda (11) e terça-feira (12) no Bom Dia Pará – que promovem um relato mais a fundo do caso e dão voz à indignação da população local, que depende do transporte fluvial. Raimunda Santos, uma das sobreviventes, relatou: “O Marcos [comandante da embarcação] pedia, ele abria os braços que era para gente não se levantar, para ninguém fazer nada, ficar quieto, que ele estava ligando paro o resgate.

Depois uma senhora olhou para o porão, viu a água entrando e gritou que a lancha estava furada,” detalhou ainda Raimundo Serra, um dos sobreviventes, pai de Brenda e avô da Lívia, que morreram no naufrágio. “Ele foi lá e mandou que ela calasse a boca: ‘cala a tua boca’ e fechou o porão da lancha.


Naufrágio no Pará que matou 23 pessoas completa um ano

Não é a primeira vez que um naufrágio ocorre no Pará: Comandante Sales no rio Solimões em maio de 2008. (Foto: Reprodução/Alberto César Araújo/Acervo Amazônia Real)


Outras denúncias

Diversos moradores de Marajó, o arquipelágo de onde a embarcação partiu, frequentemente reclamam de condições precárias do transporte fluvial, incluindo lanchas lotadas, barcos com irregularidades no funcionamento, e suspensões de viagens constantes. Por causa desses motivos, muitos moradores acabam tendo de recorrer a barcos clandestinos para chegarem ao seus destinos.

A população relata que são problemas antigos, e muitos outros acidentes já ocorreram. Um desses naufrágios, com 30 mortes contabilizadas, aconteceu tão cedo quanto o de julho de 1988, quando um barco correio do Arari afundou próximo à ilha das Onças. Em 2008, também foi notável o naufrágio do Comandante Sales no rio Solimões, que deixou 48 mortos e desaparecidos.

Em termos de soluções a longo prazo, a Companhia de Portos e Hidrovias do Pará (CPH) anunciou que, nos municípios de Anajás, Breves, Chaves, Melgaço, Oeiras do Pará, Salvaterra e Soure, novas estruturas estão em construção para promover o embarque e desembarque com maior conforto e segurança na região.

Foto Destaque: Familiares das vítimas protestam a demora no andamento do caso. Reprodução/Youtube/O Liberal

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Empreender na Prática

Não há contradição entre frescor, relaxamento e bem-estar. Na rotina de self-care, os body splashes se tornaram protagonistas quando assunto é refrescar o corpo...

Saúde e Bem Estar

A Massagem Nuru é uma prática terapêutica que tem origem no Japão e se tornou cada vez mais popular em diversos países, incluindo o...

Celebridades

O cantor foi fotografado ao lado da esposa Bianca Censori. Ele estava mascarado e ela nua, sob uma capa de chuva transparente.

Magazine

Quem conhece Nicole Bahls, sabe que ela é babado, confusão e alegria, por onde passa deixa seu rastro de carisma e felicidade. Nicole é...