Notícias

Valor da remuneração média no Brasil teve queda de 5,6% no período de um ano

05 Jul 2022 - 11h00 | Atulizado em 05 Jul 2022 - 11h00
Valor da remuneração média no Brasil teve queda de 5,6% no período de um ano

O cenário para contratação no Brasil tem sofrido um impacto no valor de remuneração. A alta inflação tem atingido diversos setores da economia, desde os preços altos até os salários dos trabalhadores. De acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério Público da Previdência, o valor médio dos salários das contratações teve uma queda de 5,6% no período de um ano. Em maio de 2022 a média dos salários foi de R$ 1.898, menor em comparação ao valor de maio do ano anterior de R$2.010, e do mês de abril deste ano no valor de R$1.916, com valores corrigidos pelo INPC.

Nos dados registrados no período de um ano, o mês de abril foi o único que registrou aumento nesses primeiros cinco meses de 2022, sendo o salário de maio o menor valor médio desde dezembro de 2021. Mesmo com a queda do desemprego em uma taxa de 9,8% nos meses de março a maio deste ano, sendo a menor taxa de desocupação desde 2015, os dados do Caged refletem que os valores das remunerações iniciais seguem diminuindo. O número de desempregados atualmente no Brasil ainda são de 10,6 milhões.


Salário de dezembro de 2021 até então seria o registrado como o menor após queda. (Foto:Reprodução/ G1)


Segundo os dados fornecidos pelo governo federal, em maio deste ano foram registrados 277 mil empregos com carteira assinada. Muitos trabalhadores iniciando no mercado do trabalho representam a melhora e restauração do desemprego, entretanto não representam uma melhora da renda. É o que destaca Fabio Bentes, economista da CNC (Confederação Nacional do Comércio), "Essa queda no salário de salário de admissão já foi até pior. Mas isso não significa que o salário daqui a pouco vai começar a apresentar ganho. Provavelmente, não vai. Quem está entrando no mercado de trabalho, está predominantemente aceitando um salário menor do que se pagava 12 meses atrás", diz o economista em entrevista ao G1.

Entre as médias de pagamentos apresentadas pelo Caged nas divisões das atividades econômicas, as menores remunerações iniciais do mês de maio são no setor de Serviços Domésticos com R$1.343, Alojamento e Alimentação com R$1.494, seguidos da área de Comércio, Reparação de veículos automotores e Motocicletas com R$1.645. Na outra ponta, os setores que possuem maiores valores iniciais são de Atividades Financeiras, de Seguros e Serviços relacionados com R$3.940, Eletricidade e Gás com R$3.944 e liderando o setor de Organismos Internacionais e outras Instituições Extraterritoriais com R$5.682.

Foto Destaque: Em plano, foto da carteira de trabalho. Reprodução/Agência Brasil

 

 

Mais Lidas