INMAG | Todos os direitos reservados.

Hi, what are you looking for?

Moda

Exposição no museu Yves Saint Laurent de Paris destaca a importância da transparência para o designer

Conheça a história da marca e sua relação com a nudez parcial ou total nas passarelas como forma de protesto pela emancipação do corpo feminino

Exposição de peças transparentes museu Saint Laurent
Foto destaque: Peça transparente Saint Laurent — Instagram @ysl

Sabemos que a moda constantemente anda em equilíbrio entre duas tendências máximas que coexistem simultaneamente e sub tendências derivadas das macros. Foi assim no ano passado, em 2023, com a ascensão do “balé core” e “coquette girl” — ambas hiper femininas— e o início das “messi gilrs” e o “dark feminino”, que trazem esse lado mais sombrio da beleza feminina.

Com isso podemos entender que ao passo que seguimos com essas tendências do “quiet luxury”, ou seja, essa moda mais clean e tranquila, também temos do outro lado uma tendência bem ousada, que foi vista nas semanas de premiações, como o Oscar, e que está sendo explorada na exposição do Museu Yves Saint Laurent: a transparência.



A exposição ” Transparences” estará em cartas até 25 de agosto. Nela revisitamos a história da marca e entendemos melhor sua relação com a transparência.

Mamilos a mostra



A marca em conjunto com seu estilista Yves Saint Laurent, foi a primeira a introduzir a transparência nos seios femininos de suas roupas, na coleção de verão de 1968. A peça em questão fazia parte de uma composição unissex e curiosamente não tinha por objetivo ser sexy, provocante nem insinuante, sendo ela combinada com um conjunto de smoking com bermuda.

O objetivo de Yves nunca foi decair para vulgaridade, sendo muito cuidadoso ao criar designers delicados, com tules, veludos e outros detalhes essenciais para manter o equilíbrio nas peças — até mesmo certos toques de androgenia.



Importância histórica

Na mesma coleção, o “Nude Look”, de 1969, Laurent também brincou com a ideia da exposição do corpo feminino como algo muito além de mero objeto fetichista. A nudez estava ali como forma de expressão artística e libertação. Um exemplo disso foi o vestido com plumas de avestruz na região pélvica, fazendo alusão aos pelos pubianos.

A exposição no museu de Paris conta com 40 peças, entre roupas e acessórios, e passeia por todos esses picos históricos da marca, mostrando sua relação íntima com a transparência de forma elegante e não vulgar, que contribuiu e muito para a emancipação do corpo feminino.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Empreender na Prática

Não há contradição entre frescor, relaxamento e bem-estar. Na rotina de self-care, os body splashes se tornaram protagonistas quando assunto é refrescar o corpo...

Saúde e Bem Estar

A Massagem Nuru é uma prática terapêutica que tem origem no Japão e se tornou cada vez mais popular em diversos países, incluindo o...

Celebridades

O cantor foi fotografado ao lado da esposa Bianca Censori. Ele estava mascarado e ela nua, sob uma capa de chuva transparente.

Magazine

Quem conhece Nicole Bahls, sabe que ela é babado, confusão e alegria, por onde passa deixa seu rastro de carisma e felicidade. Nicole é...