INMAG | Todos os direitos reservados.

Hi, what are you looking for?

Money

Caixa e Banco do Brasil são os primeiros a transferir valores via Drex

A Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil (BB) inovaram ao realizar a primeira transferência de recursos entre bancos públicos por meio do Drex, o Real digital, em um piloto de testes conduzido pelo Banco Central (BC). O Drex, considerado revolucionário pelo setor financeiro, abre as portas para a tokenização, ou seja, converter ativos físicos ou digitais em representações digitais da economia, permitindo a criação de representações digitais de ativos reais e prometendo maior agilidade e segurança nas transações.

O impacto transformador

O Drex faz uso das redes blockchain para garantir a rastreabilidade das transações, uma tecnologia também adotada pelas principais moedas digitais. A liquidação das transações é assegurada por uma moeda segura emitida pelo Banco Central. A Caixa vislumbra o Drex como uma ferramenta para acelerar a liberação de recursos em financiamentos imobiliários e a tokenização de títulos públicos e privados, reduzindo consideravelmente os prazos.

Os líderes das instituições, Rita Serrano, presidente da Caixa, e Tarciana Medeiros, presidente do BB, destacam a parceria bem-sucedida e reforçam o compromisso com a modernização do setor financeiro e a exploração contínua das moedas digitais e transações ágeis.

A Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil (BB) entraram para a história ao concretizar a primeira transferência de recursos entre bancos públicos por meio do Drex, também conhecido como o Real digital. Este feito inovador ocorreu em um programa piloto conduzido pelo Banco Central (BC), que incluiu a participação ativa dessas duas instituições financeiras de grande porte.


 

Logo dos bancos, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil. (Foto: reprodução/Twitter/@Caixa/@BancodoBrasil)


Inovação no setor financeiro

Os testes para essa transferência pioneira ocorreram nos dias 30 e 31 de agosto, envolvendo a transferência de reservas bancárias entre as instituições no ambiente de testes do BC. Inicialmente, os valores foram transferidos da carteira do Banco do Brasil para a Caixa Econômica Federal, e, posteriormente, retornaram à carteira do BB.

O Drex, que vem sendo considerado uma peça fundamental para a tokenização da economia, é a chave para a criação de representações digitais de ativos reais. Esta inovação promete revolucionar as transações financeiras, tornando-as mais ágeis e seguras. A tecnologia subjacente ao Drex é baseada em redes blockchain, garantindo a rastreabilidade das transações, a mesma tecnologia que sustenta as principais moedas digitais. Além disso, a liquidação das transações é assegurada por uma moeda segura emitida pelo Banco Central.

Um exemplo prático do potencial do Drex é sua aplicação nos financiamentos imobiliários, onde seu uso pode reduzir significativamente o tempo necessário para a liberação dos recursos, tornando possível a conclusão em questão de horas. Outra área que pode se beneficiar é a tokenização de títulos públicos ou privados, tornando esses ativos mais acessíveis e eficientes. Informações via Estadão.

Foto destaque: logomarca do Drex. Reprodução/Banco Central do Brasil/InfoMoney

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × três =

Mais lidas

Empreender na Prática

Não há contradição entre frescor, relaxamento e bem-estar. Na rotina de self-care, os body splashes se tornaram protagonistas quando assunto é refrescar o corpo...

Saúde e Bem Estar

A Massagem Nuru é uma prática terapêutica que tem origem no Japão e se tornou cada vez mais popular em diversos países, incluindo o...

Magazine

Quem conhece Nicole Bahls, sabe que ela é babado, confusão e alegria, por onde passa deixa seu rastro de carisma e felicidade. Nicole é...

Reality

A final de A Fazenda 15 vai acontecer na quinta-feira (21). Quatro integrantes estão na disputa pelo prêmio de um milhão e meio de...