INMAG | Todos os direitos reservados.

Hi, what are you looking for?

Notícias

Argentina anuncia menor inflação em dois anos mas ainda preocupa consumidores

O país registrou uma baixa na inflação pelo quinto mês consecutivo com a presidência de Javier Milei desde 2022 mas consumidores ainda não se sentem seguros

Banco Central da Argentina
Foto destaque: Banco Central da Argentina (reprodução/Bloomberg/Getty Images Embed)

No mês de maio, a Argentina registrou uma queda da inflação desde janeiro de 2022, seguindo com a baixa durante cinco meses consecutivos diante da presidência de Javier Milei.

O repasse de preços ao consumidor ficou 5% abaixo das estimativas de economistas. Durante 12 meses, a inflação chegou a 276,4% , acumulando 71,9% até o quinto mês, de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec).

O ministro da economia, Luis Caputo, comentou os dados divulgados:

“A dinâmica dos preços voltou a ficar abaixo do esperado pelo consenso dos analistas participantes do Relevamento de Expectativas de Mercado (REM) do BCRA (Banco Central da República Argentina)”, acrescentou o ministro citando as consultorias econômicas do país.

Dados do mês de maio

Segundo o INDEC, a inflação dos 13 setores analisados resultou em desaceleração considerável. As categorias de Comunicação e Educação lideram a maior taxa com (8,2%) e (7,6%), respectivamente. A seguir as categorias de Tabaco e Bebidas Alcoólicas com (6,7%) e o menor registro para a saúde com (0,7%).

As categorias de habitação, saneamento e eletricidade subiram cerca de 2,5% e o setor de alimentos e bebidas aumentou em todas as regiões cerca de 4,8%


Argentina anuncia menor inflação em dois anos mas ainda preocupa consumidores
Consumidores ainda não sentem diferença no bolso (reprodução/ Cristina Sille/ Picture Alliance/Getty Images Embed)

Consumidores inseguros

Apesar de registrar uma baixa na inflação e mantê-la durante todo o primeiro semestre de 2024, os consumidores ainda não conseguem ver a diferença no dia-a-dia. Para a população, os custos ainda não cobrem o valor de salários recebidos, além de considerarem os impostos altos e o acesso a saúde muito caro.

Em entrevista à Reuters, Silvia Castro que é aposentada de 65 anos comentou: “Os impostos estão muito caros, os serviços e a gasolina estão caros, o seguro está caro, o serviço social (serviço de saúde) que deveria estar caindo está igual ou aumentou.”

Milei impôs medidas mais rigorosas para controlar os gastos e reduzir a impressão de notas por meio do banco central, mas ainda precisa de equilíbrio para não perder os eleitores em um momento onde a economia corre risco.

Data de publicação: 14/06/2024 15:32

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Advertisement
Advertisement

Mais lidas

Saúde e Bem Estar

A Massagem Nuru é uma prática terapêutica que tem origem no Japão e se tornou cada vez mais popular em diversos países, incluindo o...

Empreender na Prática

Não há contradição entre frescor, relaxamento e bem-estar. Na rotina de self-care, os body splashes se tornaram protagonistas quando assunto é refrescar o corpo...

Celebridades

O cantor foi fotografado ao lado da esposa Bianca Censori. Ele estava mascarado e ela nua, sob uma capa de chuva transparente.

Magazine

Quem conhece Nicole Bahls, sabe que ela é babado, confusão e alegria, por onde passa deixa seu rastro de carisma e felicidade. Nicole é...