INMAG | Todos os direitos reservados.

Hi, what are you looking for?

Notícias

Cientistas avançam em desenvolvimento de terapia para febre amarela

Cientistas avançam em desenvolvimento de terapia para febre amarela

Cientistas do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) e um grupo de pesquisa internacional, avançaram para o desenvolvimento de uma terapia para febre amarela.

Mesmo já existindo uma vacina eficaz, nem sempre a vacina em si é a resolução de todos os problemas. Grupos de risco como gestantes, idosos e pessoas com sistema imunológico debilitado não podem receber o imunizante vacinal, já com esse novo método, abrem-se novos horizontes para que esses grupos se previnam de forma igualitária ao restante da população.

Hoje em dia, o tratamento da febre amarela é vinculado à permanência de repouso, com grande reposição de líquidos quando indicado. Já em casos mais graves, é necessária a internação na UTI para possíveis reduções de complicações e risco de óbito.

O vírus da febre amarela é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados. A doença não é passada de pessoa a pessoa.

Esse novo método foi testado em animais, que demonstrou eficácia de anticorpos sintéticos contra a doença.  


Cientistas avançam em desenvolvimento de terapia para febre amarela

Hamster de laboratório (Foto: reprodução/Gutermberg Brito/Fiocruz)


Os primeiros testes foram realizados em hamster, que são considerados como modelos de teste para vários experimentos. Com o êxito dos testes nos roedores, outra etapa foi aplicada em macacos, que são afetados da mesma forma que os humanos.

Com o êxito atingido com os dois experimentos, todos os macacos foram colocados a prova e sobreviveram, não apresentando nenhum dano nos fígados (órgão que é altamente afetado pelo vírus).

“É um resultado muito importante porque demonstra que os anticorpos são eficazes num modelo altamente suscetível”, afirma a pesquisadora Myrna Bonaldo, chefe substituta do Laboratório de Medicina Experimental e Saúde do IOC, em comunicado.

Segundo a própria pesquisadora, o próximo passo é a fabricação de um lote para realização de testes em humanos.

“Se a eficácia for confirmada, será um tratamento muito importante para os casos de febre amarela grave, em que aproximadamente metade dos pacientes vai a óbito. Pode ser uma ferramenta terapêutica para salvar muitas pessoas”, completa Myrna.

 

Foto Destaque: Pesquisadora em atividade em laboratório. (Pedro Vilela/Getty Image)

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Empreender na Prática

Não há contradição entre frescor, relaxamento e bem-estar. Na rotina de self-care, os body splashes se tornaram protagonistas quando assunto é refrescar o corpo...

Saúde e Bem Estar

A Massagem Nuru é uma prática terapêutica que tem origem no Japão e se tornou cada vez mais popular em diversos países, incluindo o...

Celebridades

O cantor foi fotografado ao lado da esposa Bianca Censori. Ele estava mascarado e ela nua, sob uma capa de chuva transparente.

Magazine

Quem conhece Nicole Bahls, sabe que ela é babado, confusão e alegria, por onde passa deixa seu rastro de carisma e felicidade. Nicole é...