INMAG | Todos os direitos reservados.

Hi, what are you looking for?

Notícias

Comissão do Senado aprova projeto de Taxação de Investimentos

Comissão do Senado aprova projeto de Taxação de Investimentos

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado aprovou nesta quarta-feira um projeto que propõe a taxação de offshores (investimentos no exterior) e de fundos de investimento exclusivos para pessoas de alta renda. O texto agora seguirá para votação no plenário principal da Casa.

A proposta é uma iniciativa do pacote econômico apresentado pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad, com o objetivo de aumentar a arrecadação em 2024. O Ministério estima que a implementação dessas medidas poderá gerar cerca de R$ 20 bilhões em tributos, considerados cruciais para atingir a meta do governo de alcançar o déficit zero nas contas públicas no próximo ano.

O projeto, que recebeu o parecer favorável do senador Alessandro Vieira (MDB-SE), busca “equiparar a legislação brasileira com a das principais economias do mundo”, conforme afirmado pelo relator. Ele ressaltou que as novas regras estão alinhadas com recomendações internacionais, incluindo as da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).


Comissão do Senado aprova projeto de Taxação de Investimentos

Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. (Foto: Reprodução/Agência de Notícias da Indústria)


Alteração da Offshores

A proposta aprovada pela CAE altera a taxação de lucros obtidos com offshores, referindo-se a rendimentos fora do Brasil provenientes de aplicações financeiras ou empresas no exterior. Atualmente, a tributação ocorre apenas quando os lucros são transferidos para a pessoa física no Brasil. Com o projeto, a tributação será feita anualmente, em 31 de dezembro, e será fixada em 15%, percentual menor do que inicialmente proposto.

Fundos Exclusivos

Os fundos exclusivos, personalizados para cada cotista de alta renda, também estão sujeitos a alterações tributárias. Atualmente, o pagamento de impostos ocorre apenas no momento do resgate da aplicação. Com o projeto aprovado, a tributação será realizada duas vezes ao ano, a cada seis meses, através do mecanismo conhecido como “come-cotas”. A taxa variará de acordo com o tempo de duração dos investimentos, sendo 15% para fundos de longo prazo e 20% para fundos de curto prazo, com até um ano ou menos.

Foto Destaque: Comissão de Assuntos Economicos. Reprodução/Wikimedia Commons

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Empreender na Prática

Não há contradição entre frescor, relaxamento e bem-estar. Na rotina de self-care, os body splashes se tornaram protagonistas quando assunto é refrescar o corpo...

Saúde e Bem Estar

A Massagem Nuru é uma prática terapêutica que tem origem no Japão e se tornou cada vez mais popular em diversos países, incluindo o...

Celebridades

O cantor foi fotografado ao lado da esposa Bianca Censori. Ele estava mascarado e ela nua, sob uma capa de chuva transparente.

Magazine

Quem conhece Nicole Bahls, sabe que ela é babado, confusão e alegria, por onde passa deixa seu rastro de carisma e felicidade. Nicole é...