INMAG | Todos os direitos reservados.

Hi, what are you looking for?

Notícias

Dois soldados russos se declararam culpados de crime de guerra na Ucrânia

No segundo julgamento por crimes de guerra desde o início da ofensiva de Moscou, dois soldados russos capturados se declararam culpados, nesta quinta-feira (26), de bombardear uma cidade no leste da Ucrânia. Isso desde o início da ofensiva de Moscou contra o país vizinho.

A Ucrânia deu início ao segundo julgamento por crimes de guerra desde o início da invasão russa. Em tribunal, dois militares capturados admitem que bombardearam uma cidade no leste ucraniano a partir da Rússia.

Durante o momento da audiência no tribunal distrital de Kotelevska, no centro da Ucrânia, promotores públicos pediram que os soldados Alexander Bobikin e Alexander Ivanov sejam condenados a 12 anos de prisão por violarem as leis da guerra. Já um advogado de defesa pediu clemência, afirmando que os dois soldados estavam apenas seguindo ordens de superiores e se arrependeram.

Colocados em uma câmara de vidro reforçada no tribunal, Bobikin e Ivanov reconheceram fazer parte de uma unidade de artilharia que disparou contra alvos na região de Kharkiv, na Ucrânia, a partir da região de Belgorod, na Rússia. O bombardeio destruiu uma instituição de ensino na cidade de Derhachi, nos arredores de Kharkiv, segundo os procuradores.

Descritos como um motorista de artilharia e um artilheiro, os militares foram capturados após cruzarem a fronteira russa-ucraniana e continuarem o bombardeio, afirmou o gabinete do procurador-geral.

Sou completamente culpado dos crimes dos quais eu sou acusado. Nós abrimos fogo contra a Ucrânia a partir da Rússia“, declarou Bobikin ao tribunal durante o julgamento transmitido ao vivo.


Centro comunitário destruído por mísseis russos em Derhachi. (Foto: Reprodução/Instagram)


O militar chegou a fazer um apelo para não ser condenado à pena máxima de prisão, Ivanov disse: “Eu me arrependo e peço a redução da pena”. A audiência desta quinta-feira durou menos de uma hora. O veredicto está previsto para 31 de maio.

Durante o julgamento em Kiev, o sargento Vadim Shishimarin, de 21 anos, se declarou culpado pela morte de um homem de 62 anos em 28 de fevereiro, apenas quatro dias após o início da invasão russa. O militar também pediu perdão à viúva da vítima e disse que disparou sob ordens de dois oficiais superiores.

Segundo a acusação, Shishimarin comandava uma pequena unidade dentro de uma divisão de tanques. Após sua caravana de tanques ter sido atacada, ele e outros soldados roubaram um carro, e, de dentro do veículo, Shishimarin atirou contra a vítima, que teria testemunhado o roubo do automóvel.

Crimes de guerra

Os julgamentos têm um enorme significado simbólico para a Ucrânia, que acusou a Rússia de atrocidades e brutalidade contra civis durante a invasão e disse ter identificado mais de 10 mil possíveis crimes de guerra. A Rússia, por sua vez, nega ter mirado civis ou se envolvido em crimes de guerra.

 

Foto destaque: Soldados Alexander Bobikin e Alexander Ivanov. Reprodução/Times of India.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × quatro =

Mais lidas

Empreender na Prática

Não há contradição entre frescor, relaxamento e bem-estar. Na rotina de self-care, os body splashes se tornaram protagonistas quando assunto é refrescar o corpo...

Saúde e Bem Estar

A Massagem Nuru é uma prática terapêutica que tem origem no Japão e se tornou cada vez mais popular em diversos países, incluindo o...

Magazine

Quem conhece Nicole Bahls, sabe que ela é babado, confusão e alegria, por onde passa deixa seu rastro de carisma e felicidade. Nicole é...

Reality

A final de A Fazenda 15 vai acontecer na quinta-feira (21). Quatro integrantes estão na disputa pelo prêmio de um milhão e meio de...