INMAG | Todos os direitos reservados.

Hi, what are you looking for?

Notícias

Seis policiais se declaram culpados por toturar dois homens negros nos EUA

Seis policiais brancos do Mississipi, nos Estados Unidos, admitiram ser culpados das acusações de tortura brutal de dois cidadãos negros, no decorrer de duas horas. Nesta quinta-feira (3), o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, para o Distrito Sul do Mississipi, Darren LaMarca, comunicou em entrevista coletiva.


Brasão do departamento de justiça dos Estados Unidos (Foto: Reprodução/ Andrew Kelly/Reuters)


Este caso é um “exemplo horrível e impactante de má conduta policial, que não tem cabimento em nossa sociedade”, declarou Kristen Clarke, representante do departamento, que denunciou o caso “motivados por preconceito e ódio racial”. 

O incidente aconteceu em janeiro, quando seis policiais entraram sem mandado ou justificativa, na casa localizada em Braxton, pequena localidade do Mississipi, para torturar dois cidadãos negros, segundo um comunicado oficial. A acusação veio à tona depois que as vítimas Michael Jenkins e Eddie Parker, entraram com uma ação civil federal.  

Tortura brutal com dois cidadãos 

Segundo a acusação, durante a sessão de tortura, os agentes agrediram sexualmente as vítimas com vibrador, submeteram insultos racistas e efetuaram dezessete disparos com arma de choque. 

Os agentes humilharam Michael Jenkins e Eddie Parker, obrigando-os a ingerir bebida alcoólica, óleo de cozinha, leite e outros líquidos não identificado. A violência física brutal, segundo Clarke, incluiu agressão com “uma espada de metal, um pedaço de madeira e utensílios de cozinha”. A sessão só terminou após duas horas, quando um agente utilizou arma de fogo de serviço baleando um dos homens dentro da boca e bala atravessou o pescoço da vítima.

Acusação federal 

As pessoas do Mississippi e do Condado de Rankin esperam que aqueles que aplicam as leis sigam a lei. Claramente  esses homens não o fizeram – eles se colocaram acima da lei”, disse LaMarca. 

O caso inclui conspiração contra direitos, privação de direitos racial, conspiração e obstrução da justiça, de acordo com registros online do tribunal federal. Hunter Elward, ex-patrulheiro do condado de Rankin, enfrenta a mais grave acusação – disparo de arma de fogo durante o crime de violência. Já Brett McAlpin, Jeffrey Middleton, Christian Dedmon, Daniel Opdyke e Joshua Hartfield, segundo os documentos do tribunal nomeiam os oficiais acusado.  

“Os réus, neste caso, torturaram e infringiram danos indescritíveis às suas vítimas, violaram flagrantemente os direitos civis dos cidadãos que deveriam proteger e traíram vergonhosamente o juramento que fizeram como policiais”.

 Comunicou o procurador-geral dos EUA, Merrick B. Garland.  

 

Foto Destaque – dois homens negros torturados no EUA (Foto: Reprodução/CNN)

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *