INMAG | Todos os direitos reservados.

Hi, what are you looking for?

Notícias

Temperaturas extremas na Sibéria: -50°C congelam a região

Nesta segunda-feira (04), partes da Sibéria enfrentaram temperaturas extremas, atingindo incríveis -50°C. A cidade de Yakutsk, conhecida como uma das mais frias do mundo, registrou temperaturas abaixo de 50ºC, desafiando os limites do suportável. A onda de frio chegou mais cedo este ano, impactando especialmente a região norte da Sibéria, equivalente ao território da Índia.

Mudanças climáticas e ondas de frio extremas

As temperaturas extremas na Sibéria chamam a atenção para as mudanças climáticas. O aumento das ondas de frio intenso na região, mesmo com a camada de gelo mostrando sinais de descongelamento, destaca a complexidade do cenário climático global. Em Moscou, a previsão é de temperaturas chegando a -18°C no final desta semana.

A nevasca se estende por vastas regiões, incluindo a Rússia europeia, Bielo-Rússia, Polônia e grande parte da Escandinávia. A República de Jacuzia, conhecida pela sua paisagem desolada, está se tornando uma grande “fábrica de gelo”. Céus límpidos, ventos quase ausentes e o fluxo de ar frio do Ártico contribuem para a formação de uma camada de inversão térmica, levando os termômetros a valores abaixo de -60°C.

Os aeroportos russos, incluindo os de Moscou, foram fortemente afetados pela nevasca. Voos tiveram que ser adiados ou cancelados, totalizando pelo menos 54 adiamentos e cinco cancelamentos nos três maiores da capital. A camada de neve nas pistas causou atrasos significativos, impactando o transporte aéreo na região.

Estratégias de sobrevivência


Muitos moradores e comerciantes da região mais fria do planeta, não congelam os peixes, já que o frio extremo o conserva. (Fotografia: PUBLICO PT/REUTERS/ROMAN KUTUKOV)


Sibéria, frequentemente considerada a cidade mais fria do planeta, viu os termômetros marcarem -51°C durante esta vaga de frio. Os moradores enfrentam o desafio com estratégias, como: o uso de roupas em diversas camadas para suportar o frio intenso. A orografia local contribui para a persistência da massa de ar extremamente fria nos planaltos e vales, tornando-a ainda mais densa e difícil de dissipar.

 

Foto destaque: Com temperaturas abaixo de 30 graus negativos e meu tempo, aeroportos russos cancelaram diversos voos para a região da Sibéria. (Reprodução/UnSplash/CNN BRASIL)

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + dezesseis =