Notícias

5G chega a São Paulo e deixa de fora mais de 70% da população paulista

05 Ago 2022 - 21h30 | Atulizado em 05 Ago 2022 - 21h30
5G chega a São Paulo e deixa de fora mais de 70% da população paulista

A ativação da internet 5G em São Paulo aconteceu na última quarta-feira (4). Contudo, o sinal não estava disponível para a maior parcela da população paulista ou atingiu velocidade um pouco mais superior às do 4G.

Conforme a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), foram instaladas 1.378 antenas que estão concentradas nas regiões central e sul do estado. Além de requisitar celulares compatíveis com a nova tecnologia, o acesso à nova geração de internet móvel está disponível apenas para 25% da área urbana.

De acordo com a Anatel, a maior parte das antenas estão concentradas no centro histórico da capital, na região da Avenida Paulista e no Itaim Bibi. Bairros como o da Aclimação, da Mooca e do Brás, por exemplo, possuem uma cobertura menor nesse início de implementação da nova tecnologia.

O Estadão foi às avenidas Paulista, Faria Lima e Ipiranga e ao bairro de Pinheiros para analisar a velocidade da internet móvel 5G de duas operadoras, a Vivo e a Tim.

Com a Vivo, o site identificou que a melhor velocidade de download foi alcançada em Pinheiros, com um download chegando a 150 Mbps e upload de 11 Mbps. Já com a Tim, no mesmo local analisado, a taxa de download chegou a 70 Mbps e 20 Mbps de upload. A velocidade do 5G da Vivo apresentou uma variação entre 16 Mbps e 50 Mbps durante a maior parte do teste. Já o 5G da Tim manteve 40 Mbps na maior parte da análise. É importante ressaltar que as operadoras prometem alcançar velocidades de até 1 Gbps, o que até o momento não foi possível.

Usuários das redes sociais compartilham números expressivos de velocidade 5G, como 715 Mbps e 836 Mbps. A reportagem do Estadão ainda aponta que há avanços nas velocidades de internet 5G, sendo possível baixar rapidamente o álbum Master of Puppets, do Metallica, no YouTube Music e  um episódio de Seinfeld, na Netflix.

Mesmo com centenas de antenas em funcionamento na capital paulista, o 5G ainda é distribuído de maneira desigual. Conforme as regras do edital do leilão 5G, executado pela Anatel, as operadoras móveis deveriam instalar uma antena para cada 100 mil habitantes desde o início da implementação em um município.

Dessa forma, a Vivo, Tim e Claro precisam ativar 462 estações até o final de setembro deste ano em São Paulo. Até o momento, a Anatel recebeu mais de 1,3 mil pedidos de licenciamento para faixa de 3,5 GHz, o que é aproximadamente o triplo de antenas que deverão ser instaladas até o final do ano no estado.

A principal mudança que o 5G proporciona é uma conexão de altíssima velocidade. Por exemplo, se durante o uso do 4G, um filme em alta definição levaria 35 minutos para ser baixado, no 5G esse tempo cairia para 20 segundos. Outras mudanças incluem uma banda larga móvel mais adequada para navegação na web, streaming de vídeos e realidade virtual. Além de possibilitar o uso de aplicações de automação industrial, direção autônoma de veículos, cirurgias remotas e comunicação massiva entre as máquinas.


Entenda algumas das principais mudanças com o uso do 5G (Infográfico: Reprodução/G1)


São Paulo é a quinta capital brasileira a se juntar ao grupo de capitais brasileiras com acesso a internet móvel 5G, caracterizada pela sua alta velocidade e baixa latência, logo após Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS) e João Pessoa (PB).

 

Foto Destaque: Celular com conexão 5G. (Foto: Reprodução/UOL)

Mais Lidas