Saúde e Bem Estar

AVC e sinais de alerta: saiba como agir nessas situações

23 Jun 2022 - 17h53 | Atulizado em 23 Jun 2022 - 17h53
AVC e sinais de alerta: saiba como agir nessas situações

O AVC é uma doença vascular cerebral, popularizado como derrame, sendo uma das principais causas de morte no mundo. É uma condição neurológica que provoca o entupimento (AVC isquêmico) ou o rompimento (AVC hemorrágico), prejudicando os vasos sanguíneos cerebrais, e paralisando o fluxo do sangue para o órgão. De acordo com os dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o acidente vascular cerebral é a segunda doença que mais mata no mundo e causa cerca de seis milhões de mortes por ano, compreender seus sintomas pode fazer a diferença na diminuição de mortes.

O radiologista Igor Santos, superintendente de inovação e dados da Fundação Instituto de Pesquisa em Diagnóstico por Imagem, explica para entrevista da Metrópoles principais sinais do AVC:

  • Paralisia ou fraqueza dos membros como braços, pernas sendo de algum lado específico do corpo;
  • Formigamento em apenas um dos lados do rosto, seja braço ou na perna;
  • Dor de cabeça muito forte
  • Dificuldade para falar;
  • Confusão mental;
  • Perda repentina da visão com o risco de ser parcial ou total;
  • Paralisia da metade inferior da face;
  • Dificuldade para engolir;

Imagem representando um senhor com dor. (Foto:Reprodução/Freepik)


Como socorrer?

É importante ressaltar, que o acidente vascular cerebral atinge pessoas de todas as idades, apesar de ser raro na infância, o acidente é mais comum em adultos. Assim, que for percebido qualquer uma dessas dificuldades citadas acima, o primeiro passo a se fazer é ir para o pronto-socorro e identificar um especialista na área! 

Saiba a diferença dos acidentes vasculares:

O acidente vascular isquêmico ou infarto cerebral: ocorre em consequência da trombose devido ao aumento de formação de placas em alguma artéria principal do cérebro, podendo ser de origem também da embolia – quando uma placa de gordura ou trombo de outra parte do corpo se solta e pela rede sanguínea, e acaba atingindo aos vasos cerebrais.

Já, o acidente vascular hemorrágico: em muitos casos, são quando rompem os vasos sanguíneos do interior do cérebro, levando a hemorragia intracerebral. Podendo ocorrer hemorragia subaracnóide, que é definido como um sangramento entre o cérebro e a aracnóide, por fim, o aumento da pressão pode gerar extrema dificuldade para levar o sangue a outras regiões não afetadas e intensificar a lesão, considerado o subtipo de AVC mais graves com riscos de mortalidades.

Grupos de riscos, e fatores que podem influenciar no AVC:

  • doenças cardiovasculares como arritmias cardíacas, doenças das válvulas cardíacas, endocardite, insuficiência cardíaca e infarto agudo do miocárdio;
  • sedentarismo, sobrepeso ou obesidade;
  • idade avançada 
  • pessoas com diabetes tipo 2;
  • fumantes/tabagismo;
  • uso excessivo de álcool;
  • colesterol alto;

Como é o tratamento de reabilitação?

O processo de reabilitação geralmente começa dentro do próprio hospital, facilitando o controle do acidente vascular. Muitas vezes, pela perda dos movimentos e sequelas, é preciso de um espaço adequado para avaliar e restabelecer sua mobilidade física. A equipe de profissionais é constituída por neurologistas, enfermeiros, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais. Após a pressão arterial, o pulso e a respiração se estabilizarem e segundo os profissionais, eles podem começar a dar início aos tratamentos de recuperação do paciente. Logo, a família, a sensibilidade e o carinho para introduzir no convívio social aos poucos, são fundamentais para ajudar o paciente voltar a ter uma rotina comum.

Foto de Destaque: Imagem do cerebro. Foto: Reprodução/Freepik