Saúde e Bem Estar

Abuso de medicamentos causam malefícios a saúde

06 Mar 2022 - 13h49 | Atulizado em 06 Mar 2022 - 13h49
Abuso de medicamentos causam malefícios a saúde

Medicamentos usados de forma inadequada trazem malefícios à saúde. A medicação deve ter recomendação médica. 

Segundo novos estudos realizados e divulgados pelo Estadão (Jornal Estado de São Paulo), no último sábado, a inflamação é importante para a defesa do organismo. Como por exemplo, na reparação dos tecidos, no funcionamento do cérebro e em outros processos vitais. Esse estudo mostra também, os riscos que o uso abusivo de medicamentos pode causar.

O imunologista Ruslan Medzhitov, professor da Universidade de Yale (EUA), disse ao Estadão que, o uso em excesso de anti-inflamatórios pode ter consequências negativas e pode afetar ainda, a manutenção do equilíbrio fisiológico do organismo. Ruslan teve publicada pela revista Science, uma visão detalhada sobre esse tema. 

Estudos revelam que os anti-inflamatórios não esteróides, que é o caso por exemplo do Ibuprofeno, se forem usados por muito tempo e em doses elevadas, podem causar úlceras instestinais e até mesmo comprometer a positividade de exercícios físicos.

A automedicação, uma prática realizada por muitos brasileiros, agrava o problema. No Brasil, 26 milhões de anti-inflamatórios foram vendidos nas fármacias do país no mês de janeiro.

Conforme o levantamento realizado pela consultoria IQVIA, empresa responsável por monitorar as informações do setor farmacêutico, a pedido do Estadão, foi constatado que apenas os anti-inflamatórios são usados para tratar as dores nos braços, pernas, quadril, ombro e coluna. 

A quantidade de medicamentos vendida no país no mês de janeiro, seria suficiente para atingir 12% da população, isso se cada um, comprasse apenas uma caixinha do remédio. A venda do medicamento subiu 3% entre 2020 e 2021.


Anti-inflamatórios. Reprodução/Divulgação: Webrun.com.br


Muitas pessoas que praticam esportes e danças, como o ballet, acham normal usar anti-inflamatórios para combater as dores e o fazem por conta própria. No lugar de se automedicar, poderiam participar de programas de prevenções de lesões, como por exemplo, o programa criado pela personal trainer especializada em treinamentos físicos para bailarinos, Tamires Reis, que já cometeu antes em sua fase de bailarina, o erro da automedicação. O programa consiste num tratamento muscular para prevenção de lesões e se estende a atletas de outras modalidades, como jogador de futebol.

A presidente da Sociedade Brasileira de Imunologia, Ana Caetano Faria, afirma que os anti-inflamatórios são importantes, quando usados no momento certo e com orientação médica.

O imunologista Luiz Vicente Rizzo, diretor-superintendente de pesquisa do Hospital Israelita Albert Einstein, concorda com Ruslan, afirmando que o uso abusivo do medicamento, prejudica o equilíbrio homeostático. " São uma das classes de drogas mais consumidas no Brasil e no mundo, mas cerca de 10% das pessoas, tem reações adversas".

 

Foto destaque: Anti-inflamatórios. Reprodução/Divulgação: abcfarma.org.br