Tech

Agronegócio precisa se tornar mais tecnológico

21 Set 2021 - 14h21 | Atulizado em 21 Set 2021 - 14h21
Agronegócio precisa se tornar mais tecnológico

Erick Melo, cofundador e Chief Commercial Officer da empresa Webjump que, segundo o site oficial, é uma agência especializada no desenvolvimento de eCommerce, escreveu recentemente um texto postado dia 19 de setembro de 2021 no portal online Exame.

 

No texto Erick argumentava a favor de maior modernização do agronegócio no Brasil que, apesar de ainda não ter alcançado seu total potencial, ainda é um dos mais modernos do mundo. Segundo dados da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), somente nos últimos dez anos, a parcela do Brasil no mercado mundial de alimentos quintuplicou, crescendo de US$ 20,6 bilhões para o total de US$ 100 bilhões. Também é importante ressaltar os dados que nos últimos 20 anos a produção brasileira de grãos cresceu 210%, 3,5 vezes maior que a alta global, sendo esta 60%. Mas isso é só em referência aos avanços tecnológicos no processo de plantação, colheita e bem estar do cultivo.


https://inmagazine.com.br/post/Whatsapp-anuncia-nova-funcao-com-testes-em-Sao-Paulo-Confira

 

https://inmagazine.com.br/post/Homem-Aranha-3-Andrew-Garfield-diz-que-foto-vazada-E-Photoshop

 

https://inmagazine.com.br/post/Mercado-de-baterias-para-carros-eletricos-expande-apos-grande-anuncio

 

Já na área de eCommerce, também houve crescimento, pelo menos comparado com o Estados Unidos e Europa. Segundo um estudo desse ano, chamado “A mente do agricultor na era digital”, realizado pela McKinsey & Company, uma empresa de consultoria empresarial americana, a adoção de plataformas online e canais digitais para compras relacionadas ao setor agrícola cresceu dez pontos percentuais, de 36% para 46%, três pontos maior que o crescimento percentual nos Estados Unidos e Europa, com crescimento de somente sete pontos percentuais.

 

Mesmo com dados tão promissores, o agronegócio ainda tem muito a crescer. Segundo o último censo Agropecuário do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) feito em 2017, mais de 70% das propriedades rurais não tinham acesso à internet. Outros dados importantes a se levar em consideração é que por volta de 40% dos produtores ainda não consideram transações pela internet seguras.

 

“É preciso levar em conta, na estruturação da plataforma, que seus usuários constituem um público que em geral não está acostumado a fazer negócios virtualmente.” Erick Melo aponta durante o texto a importância que o investimento na infraestrutura acessível, é extremamente importante para que o agronegócio possa cada vez mais se modernizar e se tornar mais tecnológico.

 

Foto destaque: charlesricardo / Pixabay