Tech

Além do iPhone, iPad pode ganhar também, versão de carga sem fio

16 Jan 2022 - 15h02 | Atulizado em 16 Jan 2022 - 15h02
Além do iPhone, iPad pode ganhar também, versão de carga sem fio

Os lançamentos inovadores da Apple seguem rumos a mais uma novidade. O novo iPad Pro que será uma atualização do iPad anterior e estava planejado para ter outro diferencial para além de novos processadores e o design aprimorado. 

O objetivo da empresa era que fosse possível levar ao mercado um dispositivo com carregamento sem fio. No entanto, para que isso acontecesse o aparelho precisaria ter um design com suporte de vidro, o que é totalmente inviável justamente pelo fato dessa mudança fragilizar o produto, deixando ele suscetível a danos consideráveis caso haja algum tipo de manuseio inadequado. 


Confira o novo produto (Foto: Nomad/bestproducts)


Para que o novo iPad mantenha sua resistência o ideal é a utilização de um suporte de alumínio, assim como os modelos anteriores. No entanto, esse material torna o carregamento sem fio inoperável. Por isso, para que haja tal mudança será necessário que a empresa busque alternativas de combinações possíveis entre outros elementos.

No entanto, como os novos iPhones possuem as partes traseiras de vidro e não têm problemas em relação a isso? Bom, acontece que o iPhone é um dispositivo menor, o que lhe confere uma superfície onde o contato é diminuído e assim as chances dele ter danos após impactos é pequena. Enquanto o iPad além de ser maior acaba sendo mais pesado.

A estratégia pensada para resolver pode ser um logotipo maior e feito de vidro de modo a permitir a passagem da corrente elétrica para que ocorra a carga, porém outras variáveis acabam inviabilizando a eficácia dessa ideia como o fato da logo ter de ser muito grande ou ter que ser bem adaptada para permitir o encaixe com o MagSafe(carregador sem fio). 

Portanto, a Apple que geralmente acaba atrasando as datas de lançamento provavelmente fará o mesmo para a data deste e se houver possibilidade buscará de alguma forma resolver esse problema e apresentar ao público, para além da inovação dos componentes eletrônicos do dispositivo, a capacidade da indução eletromagnética para carga e dessa forma não contrariando tanto as expectativas dos consumidores.

Foto de Destaque: Apple/Notebookcheck