Saúde e Bem Estar

Alergias ou asma podem aumentar o risco de doença cardíaca, diz estudo

14 Abr 2022 - 12h50 | Atulizado em 14 Abr 2022 - 12h50
Alergias ou asma podem aumentar o risco de doença cardíaca, diz estudo

Uma pessoa com um histórico de asma ou alergias, pode estar em maior risco de desenvolver pressão alta e doença cardíaca, segundo uma nova pesquisa. E pessoas adultas com idades entre 18 e 57 anos que sofreram de um distúrbio alérgico tiveram um risco maior de hipertensão, de acordo com a pesquisa que será apresentada em conferência do American College of Cardiology e da Korean Society of Cardiology em Gyeongju, na Coreia do Sul.

O maior risco de pressão alta foi identificado entre pessoas com asma, disseram os pesquisadores. A hipertensão e o colesterol, juntamente com a falta de exercícios, obesidade, diabetes, tabagismo e histórico familiar de problemas cardiovasculares, são os principais motivos que contribuem para doenças cardíacas, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos.


Asma pode provocar problemas no coração. (Foto: Reprodução/Freepik/wayhomestudio)


Sem falar do risco de pressão alta, que também surge com esses fatores em alta. A pesquisa também identificou um risco maior de doença cardíaca coronária para pessoas com idades entre 39 e 57 anos com alergias. A doença coronária ocorre quando a placa se acumula nas paredes das artérias que fornecem sangue ao coração.

Para os pesquisadores existe uma relação entre asma e alergias com o desenvolvimento de pressão alta. A associação foi observada entre voluntários de 18 até 57 anos. Por conta disso, cientistas orientam que asmáticos e alérgicos façam sempre exames frequentes para o monitoramento do risco de problemas do coração.  Tendo conhecimento dessas descobertas, os pesquisadores incentivaram os médicos a adicionar uma avaliação de risco cardiovascular aos exames clínicos de pessoas com asma e alergias.

Para pacientes com distúrbios alérgicos, a avaliação de rotina da pressão arterial e o exame de rotina para doença cardíaca coronária devem ser feitos pelos médicos para garantir que os tratamentos precoces sejam administrados para aqueles com hipertensão ou doença cardíaca coronária”, disse o principal autor do estudo, Yang Guo, pesquisador de pós-doutorado no Hospital de Shenzhen da Universidade de Pequim, na China, em um comunicado.

Doença crônica, a asma afeta 20 milhões de brasileiros conforme a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), e é um dos problemas mais comuns ao redor do mundo. 

Para os pesquisadores existe uma relação entre asma e alergias com o desenvolvimento de pressão alta. A associação foi observada entre voluntários de 18 até 57 anos. Por conta disso, cientistas orientam que asmáticos e alérgicos façam sempre exames frequentes para o monitoramento do risco de problemas do coração. 

Foto Destaque: Reprodução/Pixabay