Notícias

Anestesista é preso em flagrante por ato de estupro contra paciente em trabalho de parto

11 Jul 2022 - 13h35 | Atulizado em 11 Jul 2022 - 13h35
Anestesista é preso em flagrante por ato de estupro contra paciente em trabalho de parto

O médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra foi preso e autuado em flagrante, na madrugada desta segunda-feira (11), por estupro. Segundo investigação, o crime de abuso sexual aconteceu contra uma paciente que estava dopada e passava por um parto cesárea no Hospital da Mulher Heloneida Studart em Vilar dos Teles, São João de Meriti, no município na Baixada Fluminense.

A prisão foi feita pela delegada Bárbara Lomba, da Delegacia de Atendimento à Mulher de São João de Meriti, após funcionários da unidade de saúde filmarem o anestesista colocando o pênis na boca de uma paciente quando Bezerra era o encarregado de fazer o parto dela.


O médico Giovanni Quintella demonstrou surpresa ao saber que foi filmado pelas funcionárias durante o parto, e ao receber a chamada de prisão ficou em silêncio. (Foto: Reprodução/TV Globo)


O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) abriu um processo para investigar o caso e tomar medidas administrativas.

A equipe vinha desconfiando de atitudes do anestesista e estranhava, por exemplo, a quantidade de sedativo aplicado nas grávidas. Funcionárias do hospital trocaram a sala de parto para conseguir filmar o flagrante e denunciar o crime.

Giovanni é acusado por estupro de vulnerável, cuja pena varia de 8 a 15 anos de reclusão.

Processo de expulsão iniciado pela Cremerj

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) teve a iniciativa de abrir um processo de expulsão contra o anestesista Giovanni.

O presidente do Cremerj, Clovis Bersot Munhoz, afirmou que "as cenas são absurdas".

A Fundação Saúde do Estado do Rio de Janeiro e a Secretaria de Estado de Saúde repudiam em nota a conduta do médico anestesista.

“Informamos que será aberta uma sindicância interna para tomar as medidas administrativas, além de notificação ao Cremerj. A equipe do Hospital da Mulher está prestando todo apoio à vítima e à sua família”, declaram.

“Esse comportamento, além de merecer nosso repúdio, constitui-se em crime, que deve ser punido de acordo com a legislação em vigor", finalizam.

Giovanni Quintela, anestesita que responde por estupro 

O preso Giovanni Quintella Bezerra tem 32 anos. Ele se formou em 2017 pelo Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA), no Sul Fluminense, e concluiu a especialização em anestesia no início de abril.

Já atuou em pelo menos 10 hospitais públicos e privados, segundo o próprio.

A defesa de Giovanni lançou uma nota dizendo que se manifestará em relação à acusação:

"A defesa alega que ainda não obteve acesso na íntegra aos depoimentos e elementos de provas que foram produzidos durante a lavratura do auto de prisão em flagrante. A defesa informa também que após ter acesso a sua integralidade, se manisfestará sobre a acusação realizada em desfavor do anestesista Giovanni Quintella".

 

Foto Destaque: Médico anestesita é flagrado por funcionárias durante ato de estupro e é preso nesta segunda-feira. (Reprodução/TV Globo)