Saúde e Bem Estar

Anvisa divulga lista de pílulas emagrecedoras ilegais após morte de enfermeira

08 Mar 2022 - 15h09 | Atulizado em 08 Mar 2022 - 15h09
Anvisa divulga lista de pílulas emagrecedoras ilegais após morte de enfermeira

Na última quinta-feira (3), uma enfermeira morreu em São Paulo após ser diagnosticada com hepatite fulminante depois de consumir "ervas de emagrecimento". Este é um dos casos que têm vindo à tona de complicações por substâncias emagrecedoras consumidas de forma irregular. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) divulgou uma lista de produtos similares que foram proibidos em todo o território nacional, ao todo são mais de 140 medicamentos.

Apesar de serem proibidas, muitas das cápsulas emagrecedoras que estão na lista da Anvisa continuam no mercado brasileiro, especialmente na internet. Para tentar coibir as vendas virtuais, o órgão reguldor anunciou, em novembro do ano passado, um projeto que está fazendo o monitoramento de produtos vendidos de forma ilegal nas plataformas de e-commerce.


Medicamentos são vendidos ilegalmente na internet (Foto:Reprodução/UOL)


Além da morte da enfermeira Mara Abreu, 42 anos, o uso de medicamentos para emagrecer foi relacionado ao caso de uma mulher que sobreviveu à um transplante de fígado no Ceará e mais recentemente à morte da cantora Paulinha Abelha, que segundo o marido, também fazia uso de remédio para ajudar no emagrecimento.

Os produtos que foram proibidos de serem comercializados são da marca:

- 50 Ervas Emagrecedor

- Academia Sense Shot

- American Fit

- Always Fitness Gold

- Bio Slim

- Black Caps

- Blueelife

- Chá 37 Ervas

- Chá da Vida

- Chamomille Emagrecedor (Fórmula 1,2 e 3)

- Composto Seca Barriga

- Detox Slim, entre outros.

Conforme informou a Anvisa, as proibições se deram após serem comprovadas as divulgações e comercialização dos produtos sem registro, notificação ou cadastro, fabricados por empresa que não possui autorização de funcionamento para fabricação de medicamentos.

A Anvisa ainda lembrou que qualquer tipo de produto com finalidade terapêutica só pode ser comercializado no Brasil em farmácias e drogarias, por serem considerados medicamentos.

A hepatite fulminante pode ser causada pelo uso de diversos medicamentos, como por exemplo antibióticos, e os seus sintomas geralmente aparecem quando a lesão já está em estado muito avançado no paciente.

Foto destaque: Produtos para emagrecimento Reprodução/G1

Mais Lidas