Saúde e Bem Estar

Anvisa sanciona a comercialização de autotestes de Covid-19 em farmácias

31 Jan 2022 - 14h29 | Atulizado em 31 Jan 2022 - 14h29
Anvisa sanciona a comercialização de autotestes de Covid-19 em farmácias

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sancionou na última sexta-feira (28) a comercialização dos autotestes de Covid-19 nas farmácias de todo o Brasil. A medida decorre do aumento de casos registrados de Covid-19 em virtude do avanço da variante Ômicron.

Os quatro diretores que votaram a favor da liberação defendem o objetivo de ampliar a política de testagem do vírus no país a fim de reduzir as possibilidades de contágio.

Os autotestes de Covid-19 já são comumente comercializadas em larga escola em países europeus e norte-americanos, embora o Brasil os proibisse pelo coronavírus ser uma doença viral de notificação compulsória.


Resultado de um autoteste de Covid-19. (Foto: Reprodução/Synlab)


Na semana passada, a maioria dos diretores da Anvisa haviam adiado a autorização da venda dos testes por acreditaram ser necessário adquirir mais informação antes de uma decisão final. Ainda, tinham entrado em um acordo para o Ministério da Saúde enviar um documento que constasse a política pública responsável pela comercialização dos autotestes.

Segundo Cristiane Jourdan, relatora do caso, a adoção do autoteste deve aprimorar o plano nacional de testagem da nação. De acordo com as informações fornecidas, Jourdan comunicou que o Ministério da Saúde cumpriu os requisitos da Anvisa para a autorização da venda do produto.

“Considerando o exponencial aumento do número de casos em decorrência da variante Ômicron, a elaboração de diretrizes da OMS sobre o uso dos autotestes relacionados à política nacional de testagem para Covid e a missão institucional da Anvisa na proteção à saúde pública, entendo ser relevante e urgente a abertura de processo regulatório e deliberação de resolução de diretoria colegiada que dispõe sobre o registro de dispositivos de autotestes para detecção de antígenos de Sars-Cov-2”, disse.

Mesmo após a aprovação da medida, os testes ainda não se encontram disponíveis para venda: as marcas donas dos produtos devem submeter à Anvisa um documento solicitando um registro para comercializá-los. Estima-se que os autotestes serão vendidos por preços mais acessíveis ao contrário daqueles comercializados por laboratórios, que se encontram entre R$ 40 a R$ 70.

 

Foto de destaque: Anvisa. Reprodução/Marcelo Camargo.