Saúde e Bem Estar

Anvisa solicita defesa policial e investigação após ameaças

20 Dez 2021 - 13h27 | Atulizado em 20 Dez 2021 - 13h27
Anvisa solicita defesa policial e investigação após ameaças

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) enviou no domingo de ontem (19) um pedido de defesa policial e apuração aos órgãos de investigação e Justiça devido às novas ameaças recebidas pelos seus servidores. A solicitação foi divulgada pela agência em nota à mídia, defendendo a necessidade do pedido “em face das ameaças de violência recebidas e intensificadas de forma crescente nas últimas 24 horas”.

Segundo a nota compartilhada, os ofícios, que pedem a defesa dos funcionários e investigação das ameaças, foram enviados ao Ministério da Justiça, à Polícia Federal, à Procuradoria-Geral da República e ao Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República.


Membros da Anvisa reunidos numa coletiva de imprensa. (Foto: Reprodução/El País).


As novas ameaças de violência vieram à tona após a agência aprovar a vacinação da Pfizer em crianças de 5 a 11 anos na última quinta-feira (16). No mesmo dia, o presidente da república, Jair Bolsonaro (PL), fez uma live na qual informou ter pedido “extraoficialmente” à Anvisa o nome dos técnicos responsáveis pela aprovação da medida e que os divulgaria para que os cidadãos “formassem seu juízo” sobre os profissionais.

Após a transmissão, a Anvisa divulgou uma nota classificando a declaração do dirigente como uma “tentativa de intimidação” e afirmou que a agência era um centro de ativismo político violento e condenava qualquer tipo de ameaça explícita ou velada. A agência já tinha sofrido ameaças no passado sobre a liberação da vacinação pediátrica em combate ao Covid-19 antes mesmo de autorizar a aplicação: no mês de outubro, enquanto o assunto era somente alvo de discussão, inúmeras mensagens de e-mail foram enviadas aos diretores do órgão, ameaçando sua segurança e a de suas famílias. A Polícia Federal concluiu um inquérito a respeito do ocorrido e o mesmo tramita em sigilo na Justiça Federal no estado de Brasília.

https://inmagazine.ig.com.br/post/Anvisa-aprova-aplicacao-de-vacinas-para-criancas-de-5-a-11-anos

https://inmagazine.ig.com.br/post/Anvisa-solicita-que-farmaceuticas-fornecam-relatorios-da-eficacia-das-vacinas-contra-a-variante-Omicron

https://inmagazine.ig.com.br/post/Diretor-da-Anvisa-reforca-a-importancia-de-contencao-a-Covid-19-apos-a-nova-variante-Omicron-chegar-ao-Brasil


No mesmo dia (domingo, 19) da solicitação da agência por proteção policial e apuração das ameaças sofridas, Bolsonaro voltou a comentar sobre a decisão do órgão. Numa caminhada por Praia Grande (SP), afirmou ser “inacreditável o que a Anvisa fez” a apoiadores do governo e, novamente, comunicou informações incorretas sobre a vacinação em crianças, dizendo que ainda não eram conhecidos os efeitos colaterais nos pequenos.

 

Foto de destaque: Anvisa. Reprodução/Poder 360.