Celebridades

Após aprovação da Lei Paulo Gustavo, mãe do ator debocha de Mário Frias

25 Fev 2022 - 10h03 | Atulizado em 25 Fev 2022 - 10h03
Após aprovação da Lei Paulo Gustavo, mãe do ator debocha de Mário Frias

Na tarde desta quinta-feira (24), foi aprovada pela Câmara dos Deputados a lei Paulo Gustavo, que visa ajudar o setor cultural, muito impactado pela pandemia, e recebe o nome do ator e humorista carioca que morreu decorrente de complicações devido a Covid-19, no dia 04 de maio do ano passado.

Em sua conta do Instagram, a mãe de Paulo, Déa Lúcia, comemorou e aproveitou para alfinetar o secretário especial da Cultura, Mário Frias, que se mostrou contra a criação dessa lei desde que a ideia surgiu: "Mário Frias, mais um mico", escreveu ela na legenda.


Mãe de Paulo Gustavo debocha de Mário Frias (Foto: Reprodução/Instagram) 


Mário Frias, protestou contra a criação da lei e demonstrou indignação desde o início, argumentando que isso poderia acabar com o mercado do cinema: "Vai ser o Covidão da Cultura", disse o secretário, porém especialistas já afirmaram que a aprovação da lei de nada influencia no orçamento de Frias.


Paulo Gustavo e Thales Bretas com seus filhos


O marido do ator, Thales Bretas, também usou sua conta do Instagram para comemorat a vitória dessa conquista, no post ele escreveu:

"Hoje, com a aprovação da Lei Paulo Gustavo pela Câmara, passou um filme pela minha cabeça. O PG sempre se preocupou muito com a valorização da arte e com o mercado da cultura no Brasil. O legado deixado por ele é de que a arte salva, que a cultura é um direito de todos e merece ser aclamada e respeitada. Essa é uma lei de fomento à cultura, que aprova mais de 3 bilhões de reais para amenizar os efeitos econômicos e sociais da pandemia nesse setor. De coração, espero que, quando aprovado pelo Senado Federal, esse projeto possa ajudar os artistas e os tantos outros profissionais desse setor a retomarem suas vidas e seus trabalhos após um período tão difícil - que ainda não acabou. O próprio PG fes questão de ajudar pessoalmente as famílias de quem trabalho em seus projetos, enquanto não havia nenhum trabalho no setor durante a pandemia. Como é bom saber que o setor que nos emociona, nos diverte, nos alimenta com cultura e esperança pode ser cuidado como merece!"

A lei foi aprovada, totalizando 411 votos a favor e 27 contra na Câmara dos Deputados e determina liberar R$ 3, 862 bilhões do fundo setorial do audiovisual e da cultura para amenizar os efeitos negativos econômicos e sociais da pandemia de Covid-19 no setor cultural brasileiro. A lei segue agora para o Senado Federal.

 

Foto destaque: Paulo Gustavo (Reprodução/Instagram)