Notícias

Após denúncias de assédio, Bolsonaro deve exonerar presidente da Caixa

29 Jun 2022 - 08h10 | Atulizado em 29 Jun 2022 - 08h10
Após denúncias de assédio, Bolsonaro deve exonerar presidente da Caixa

Na noite desta terça-feira (28), no Palácio da Alvorada, em uma rápida conversa, Bolsonaro disse ao presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, que as denúncias de assédio sexual a servidoras do banco são "inadmissíveis" e que sua permanência no cargo é insustentável, segundo relatos de interlocutores do presidente Jair Bolsonaro.

A informação foi divulgada pelo site “Metrópoles”, nesta terça, que registrou depoimentos em vídeos das vítimas que tiveram suas identidades preservadas. Agora, o caso segue sendo investigado em sigilo pelo Ministério Público Federal (MPF), segundo a reportagem.

De acordo com as denúncias reveladas pelo veículo, Guimarães teria agido diversas vezes de forma inapropriada, com toques íntimos não autorizados, convites incompatíveis com a situação de trabalho e outras formas de assédio. Na maioria dos relatos, os supostos abusos ocorreram em viagens de trabalho do banco pelo Brasil.


Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal (Foto: Reprodução/Valter Campanato/Agência Brasil)


Em nota enviada ao Metrópoles, a Caixa disse que "não tem conhecimento das denúncias apresentadas pelo veículo". O MPF do Distrito Federal afirmou que não fornece informações sobre procedimentos sigilosos.

Em uma rápida ação, a equipe de campanha do presidente da República agiu rapidamente para evitar que o caso gerasse impacto diretamente na eleição, principalmente porque Bolsonaro encontra uma forte resistência no eleitorado feminino, como mostrou a colunista Malu Gaspar. Aliados pressionaram pela saída imediata de Guimarães do cargo para que Bolsonaro se afaste rapidamente das acusações.

As funcionárias disseram que Guimarães as assediava, pegando na cintura e pescoço delas sem consentimento, além disso, ele proferia palavras agressivas e obscenas a elas. "Ele me falou: 'Vou te rasgar. Vai sangrar’”, disse uma das vítimas em depoimento anônimo. 

Veja a nota completa do banco

A Caixa esclarece que adota medidas de eliminação de condutas relacionadas a qualquer tipo de assédio. O banco possui um sólido sistema de integridade, ancorado na observância dos diversos protocolos de prevenção, ao Código de Ética e ao de Conduta, que vedam a prática de ‘qualquer tipo de assédio, mediante conduta verbal ou física de humilhação, coação ou ameaça’.

 

Foto Destaque: Reprodução/Pablo Jacob