Notícias

Após o cancelamento do carnaval de rua, SP e Rio adiam desfiles de escolas de samba

22 Jan 2022 - 12h30 | Atulizado em 22 Jan 2022 - 12h30
Após o cancelamento do carnaval de rua, SP e Rio adiam desfiles de escolas de samba

Uma reunião virtual com a participação dos dois prefeitos de SP e Rio, Ricardo Nunes (MDB) e Eduardo Paes (DEM), envolvendo também o secretário da Saúde carioca, Daniel Soranz, e o secretário da Saúde paulista, Edson Aparecido, além de presidentes das Ligas de Escolas de Samba dos municípios, decidiu nesta sexta-feira (21), demonstrando preocupação com o avanço da variante ômicron da covid-19, o adiamento dos desfiles de escolas de samba das duas cidades para o mês de abril. 

Nesse caso, os desfiles de escolas de samba de 2022 passará a acontecer em um feriado prolongado de Tiradentes, tendo início no dia 21 de abril, numa quinta-feira.

Nesta quarta-feira (19), o país registrou pela 1°vez, mais de 200 mil casos conhecidos de covid em 24 horas. As mortes também vem apresentando alta.

As prefeituras de SP e Rio, afirmaram em nota conjunta que, "sob orientação de seus secretários de Saúde, optaram por adiar a realização dos desfiles das Escolas de Samba para o fim de semana do feriado de Tiradentes, em abril".

"A decisão foi tomada em respeito ao atual quadro da pandemia de Covid-19 no Brasil, e a necessidade de, neste momento, preservar vidas e somar forças para impulsionar a vacinação em todo o território nacional", discursaram Paes e Nunes.


Última vez que houve desfiles normalmente nas cidades de SP e Rio: 2020. (Foto: Alexandre Cassiano)


Para o presidente da Liga de SP, Sidnei Carriuolo Antonio, "foi uma atitude sensata". "A liga tem um carinho muito grande por seus componentes, sofreu muito nos últimos dois anos e jamais os colocaríamos em risco. É uma atitude acertada, tem todo apoio da Liga e das escolas e esperamos que dia 21 de abril poderemos fazer um desfile de alegria, de calor humano."

Anteriormente, em 6 de janeiro, a prefeitura cancelou o carnaval de rua em São Paulo, também devido ao aumento de casos de Covid-19. O Rio já havia cancelado no dia 4 de janeiro, com o anúncio do prefeito Eduardo Paes.

A Ambev, que foi escolhida como empresa patrocinadora do carnaval de rua em 2022, deixará de pagar à cidade de São Paulo R$ 23 milhões estipulados no contrato de patrocínio assinado ano passado.

Protocolos

A Liga das Escolas de Samba de São Paulo (Liga-SP) estabeleceu alterações nas regras dos desfiles durante a semana, sem o cancelamento confirmado. O protocolo constava a exigência de passaporte de vacina para o público e os desfilantes, o uso obrigatório de máscara também ampliado para o público e os desfilantes, a redução do número de oponente por escola, e o controle de público na concentração e dispersão.

Foi determinada a exclusão do quesito "harmonia" no julgamento do carnaval de 2022, devido o uso de máscara entre os integrantes de escolas de samba abafar a cantoria do samba enredo. Assim, a proteção não atrapalharia a competição.

Além disso, o protocolo atualizado pela Liga-SP já previa o adiamento dos desfiles Anhembi em caso de a situação epidemiológica da cidade sofresse alguma ontra onda de casos

Foto em destaque: Prefeito de SP, Ricardo Nunes, e Eduardo Paes, do Rio ouvem fontes confiáveis para decisão dos desfiles das Escolas de samba. (Foto: Reprodução/Globo News