Notícias

Apreensão por uma nova crise leva mais de duas mil cidades a pedir auxílio do Ministério da Saúde

07 Jan 2022 - 21h37 | Atulizado em 07 Jan 2022 - 21h37
Apreensão por uma nova crise leva mais de duas mil cidades a pedir auxílio do Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde, na última quarta-feira, recebeu requisições apresentadas por mais de duas mil cidades a respeito da questão COVID-19. Os principais pedidos enviados pelas autoridades contemplam, segundo O Globo, “apoio da pasta na estruturação do atendimento ambulatorial, compra de testes rápidos de Covid-19 e de remédios antigripais”, que estão em falta no momento atual.

Os responsáveis pelo encaminhamento do documento que realiza esses pedidos, pertencentes ao Consórcio Conectar, têm como iniciativa instar o secretário-executivo da saúde, Rodrigo Cruz, a comprar vacinas para o controle da atual pandemia. O documento a apresentar essas propostas ainda salienta a necessidade de se comprar oseltamivir, “importante para o tratamento de casos graves de Influenza.”


                                         

Descrição: teste antígeno (Foto: Reprodução/Associated Press/Chemical and Engineering News)


O consórcio ainda aponta para o que eles enxergam ser a melhor saída para o problema: testes antígenos, que, segundo o texto, são o “caminho para identificarmos com a velocidade necessária os indivíduos que precisam ser isolados e acompanhados.” – ainda complementando:

“Assim sendo, pedimos o reforço do envio de teste de antígeno, bem como o apoio a estruturas fixas e móveis de testagem, seja na forma de equipamentos ou financiamento para garantir a contratação das estruturas e das equipes temporárias para apoio da testagem.”

Nevasca violenta deixa milhares de motoristas parados em estrada nos Estados Unidos

Segundo nova lei, aplicativos de entrega serão responsáveis pelos acidentes de seus funcionários

Seu pet com RG? Prefeitura de São Paulo lança nova versão do RGA


Mesmo depois de dois anos passados após o início da pandemia, os dados no Brasil ainda são imensamente alarmantes, atingindo parte significativa da população. Ainda segundo O Globo, o prefeito Duarte Nogueira afirmou que em sua cidade, Ribeirão Preto (SP), “a busca por atendimento médico aumentou em 56%”. Embora o nível de gravidade da variante Delta seja significativamente maior, a Ômicron contaminar mais pessoas – o que deve chamar atenção dos municípios para uma nova política de contenção da doença.

O portal Poder360, conhecido por tratar de notícias relacionadas à política e seus bastidores, divulgou o texto integral submetido ao Ministério da Saúde, que pode ser conferido aqui.

 

Foto Destaque: Reprodução/Jefferson Bernardes/AP/Valor Econômico.