Saúde e Bem Estar

Ataque cardíaco: o que é, fatores de risco e prevenção

06 Jul 2022 - 10h10 | Atulizado em 06 Jul 2022 - 10h10
Ataque cardíaco: o que é, fatores de risco e prevenção

O infarto é causado pelo acúmulo de gorduras nas artérias coronárias, obstruindo os vasos. A formação do coágulo que interrempe o fluxo sanguíneo se dá após a morte de células de uma região do coração.

A principal causa do infarto é a aterosclerose, doença que faz com que as placas de gordura se acumulem no interior das artérias coronárias. Quando uma dessas placas é rompida o coágulo é formado e o fluxo de sangue interrompido.

Só no Brasil são mais de 400 mil casos anuais de ataque cardíaco. Especialistas explicam os principais fatores de risco e o motivo de algumas pessoas sofrerem mais de um infarto ao longo da vida.

Fatores de Risco 

O tabagismo e o colesterol alto são os principais fatores de risco para desenvolvimento do infarto. Além disso, esse hábito pode gerar outros problemas, como hipertensão, obesidade, estresse, depressão e diabetes.

Segundo Carlos Rassi, médico cardiologista do Hospital Sírio-Libânes de Brasília e professor de Cardiologia da Universidade de Brasília (UnB), pessoas que já tiveram um infarto apresentam chances maiores de sofrerem novamente o episódio.

‘’Todo paciente que infarta vai ser para o resto da vida um paciente de muito alto risco para ter novos eventos de infarto. A doença aterosclerótica, desenvolvida pelo somatório ed vários fatores como idade avançada, diabetes, hipertensão, histórico familiar, tabagismo, sedentarismo, obesidade e estresse, normalmente acontece em vários locais, não somente em um vaso específico como artérias do coração’’, explica Rassi.

A não de manutenção de hábitos como tabagismo e sedentarismo aumentam as chances de sofrer um infarto. A falta de cuidado em outros âmbitos da saúde, como obesidade e diabtes, também potencializam a probabilidade de um ataque cardíaco.


O tabagismo é um os maiores causadores de ataque cardíaco (Foto: Reprodução/Saúde Naval)


Para o médico cardiologista Helio Jose Costello Junior, coordenador da Hemodinâmica do Hosptial Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo, salienta com o infarto precisa de cuidados imediatos.

"O indivíduo que começa a ter qualquer um dos sintomas normais de infarto, como dor no peito, sudorese, tontura e falta de ar, quanto mais rápido for ao hospital e receber o atendimento ideal para desobstruir essa artéria com o cateterismo e a angioplastia, que é o implante de stent (os stents são utilizados para restaurarem o fluxo sanguíneo na artéria coronária e trazerem um ritmo quase normal), ele vai derrubar o risco de morte de 35% a 40% para abaixo de 5%’’, diz o especialista.

Além de exercícios, a alimentação deve ser adequada para uma boa manutenção do corpo. Evitar o tabagismo também é essencial para a não obstrução das artérias e o infarto.

Sinais e Sintomas de Infarto 

Para Rassi, recomenda-se para quem já teve um episódio de infarto atentar-se aos sintomas e ir à um especialista duas vezes ao ano. Mesmo podendo ocorrer de forma súbita, alguns pacientes apresentam sinais que incluem dor ou desconforto na região peitoral que pode afetar as costas, rosto e braço esquerdo – raramente o braço direito.

O desconforto costuma ser prolongado juntamente com a sensação de peso no toráx, suor frio, palidez, alta de ar e sensação de desamaio. Em idosos, o principal sintoma é a falta de ar.

Foto Destaque: Reprodução/Hospital Albert Sabin