Saúde e Bem Estar

Atividade física previne doenças ligadas ao sedentarismo

17 Mar 2022 - 12h14 | Atulizado em 17 Mar 2022 - 12h14
Atividade física previne doenças ligadas ao sedentarismo

Atividades físicas proporcionam a melhoria da qualidade do sono, auxiliando na construção na qualidade de vida e na prevenção de doenças ligadas ao sedentarismo. Segundo dados levantados pelo IBGE em 2019, somente 30% de brasileiros realizavam a quantidade de atividades físicas adequadas a manutenção da saúde, sendo cerca de 34% para homens e 26% para mulheres. Contra os 62% da população (mais de 100 milhões) a partir de 15 anos, registrada como sedentária de acordo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD).

Problemas com sono podem trazer falta de concentração e memória, ganho de peso, comprometimento do sistema imunológico, pode deixar o indivíduo mais emotivo, mexe na aparência física e até prejudica o crescimento do tecido cerebral. Cerca de 70% dos brasileiros dorme mal de acordo com pesquisa do Instituto do Sono, em São Paulo.

Alguns dos fatores que influenciam nesse problema é a cultura de dormir pouco em função da rotina agitada de trabalho, questões biológicas relacionadas ao cronotipo, uma informação presente no DNA que é capaz de dizer qual momento do dia o corpo tende a ter um melhor rendimento. No caso do Brasil, onde há apenas um tipo de horário comercial, pessoas que não possuem o cronotipo ideal para esse horário são impactadas em sua performance, segundo o portal médico Persono.

Além disso há outros fatores, como citado em pesquisa feita pela Royal Philips: “No Brasil, grande parte dos voluntários comentou que as distrações com entretenimento afetam o sono: 35% indicaram televisão, filmes e redes sociais.” No sono é onde são feitos os reparos físicos como o fortalecimento do sistema imunológico, o crescimento para crianças que estão nessa fase, o regeneramento da visão, entre outros processos regulatórios.

As atividades físicas regulares já são sinalizadas pelos profissionais da saúde por seus benefícios como a melhoria da saúde funcional, na redução do risco de quedas sucedidos por fraturas graves, controle e redução de peso, da ansiedade, depressão, além da manutenção do bem estar geral do indivíduo e no sono, proporcionando mais disposição e qualidade de vida.

Segundo o portal Euro Farma, a Organização Mundial da Saúde (OMS), o sedentarismo está em 4º lugar no ranking de causas de óbitos, apontando que para cada três pessoas no mundo, uma não pratica atividade física. Incluso nisso, a doenças como AVC, diabetes, depressão, doenças ligadas ao coração, hipertensão, câncer de mama e de cólon tem suas possibilidades aumentadas para aqueles que se encaixam no perfil da pesquisa.   

Foto Destaque: Imagem de pisauikan por Pixabay.