Saúde e Bem Estar

Banana verde pode auxiliar na prevenção do câncer, segundo estudo

27 Jul 2022 - 10h00 | Atulizado em 27 Jul 2022 - 10h00
Banana verde pode auxiliar na prevenção do câncer, segundo estudo

De acordo com um estudo publicado pela American Association for Câncer Research, a ingestão de banana verde pode auxiliar na prevenção do câncer em pessoas que possuem predisposição. A pesquisa descobriu que o amido contido na fruta é capaz de reduzir o desenvolvimento de cânceres gastrointestinais em até dois terços.

A pesquisa acompanhou cerca de mil pessoas com a síndrome de Lynch, uma doença genética que aumenta o risco de alguns tipos de câncer, como o câncer de estômago e pâncreas.

LEIA MAIS

Os participantes da pesquisa tiveram que ingerir uma dose diária de 30 gramas de amido resistente, principal composto presente na biomassa de banana verde, durante todo o tempo de pesquisa. Os pesquisadores receberam doses de placebo.


Estudo sobre bananas (Foto: Reprodução/Divulgação)


Em uma entrevista ao jornal The Sun, o professor John Matheus afirmou: “Concluímos que o amido resistente reduz a incidência de cânceres em mais de 60%. O efeito mais notável foi na parte superior do intestino”. Ainda de acordo com o professor, o suplemento foi efetivo no combate ao câncer de esôfago, trato biliar, pâncreas e duodeno.

A recente descoberta é muito importante, tendo em vista que esses tipos de câncer são mais difíceis de serem diagnosticados e, quando descobertos, se encontram em estágio mais avançado. O amido resistente, encontrado na banana verde, não é digerido pelo intestino delgado. Porém, ele passa por um processo de fermentação e, com isso, as bactérias presentes no local são alimentadas. 

Porém, esta substância aparece em outros alimentos como aveia e feijão. Em algumas outras pesquisas, é mostrado que a ação desse tipo de substância não é instantânea, mas seus benefícios foram identificados em um paciente dez anos após o fim da suplementação.

Por isso, é importante se atentar os sinais e sempre consulte um médico. Quanto mais cedo o diagnóstico, mais chance de uma cura existe.

Foto destaque: Reprodução/Divulgação