Notícias

Brasil: Bolsonaro sanciona lei que cria crédito para micro e pequenas empresas

04 Dez 2021 - 19h35 | Atulizado em 04 Dez 2021 - 19h35
Brasil: Bolsonaro sanciona lei que cria crédito para micro e pequenas empresas

Na última quinta-feira (02), a lei destinada aos MEI (microempreendedores), micro empresas, pequenas empresas e produtores rurais, programa de estímulo de crédito, foi sancionada pelo Presidente Jair Messias Bolsonaro e pode beneficiar empresários com receita de R$4,8 milhões anual. Votado na Câmara e no Senado, a sanção foi publicada no DOU (Diário Oficial da União).

Segundo a Secretaria Geral da Presidência da República, o objetivo é reduzir os danos que foram causados pela pandemia da COVID-19 às pequenas empresas que precisam de crédito para funcionar.


(Microempreendedores - Reprodução/Agência Brasil)


Após sofrer alterações, o programa foi criado por uma medida provisória, editada no meio do ano e agora se tornou uma lei. Anteriormente, apenas os microempreendedores individuais, microempresas, empresas de pequeno porte e produtores rurais eram visados, porém, agora as cooperativas, associações de pesca e marisqueiros foram incluídos.

A sanção ao projeto, segundo a Presidência da República:

“Representa ação fundamental para a manutenção do emprego e do desenvolvimento do crédito geral na economia brasileira, por estimular que os bancos emprestem recursos aos empreendedores e ampliem o crédito para pequenos e médios negócios, de forma a buscar atenuar a crise econômica decorrente da pandemia”.

https://inmagazine.ig.com.br/post/A-Fazenda-13-O-tema-da-festa-foi-Festa-Chocolate 

https://inmagazine.ig.com.br/post/Crianca-de-12-anos-agradece-seu-transplante-de-figado-em-carta-ao-papai-noel 

https://inmagazine.ig.com.br/post/Flamengo-empata-com-Sport-na-Arena-Pernambuco 


Quem aderir ao programa, poderão gerar o benefício fiscal, chamado crédito presumido, que dará desconto no pagamento de impostos às instituições. Essa operações de crédito tem até o dia 31 de dezembro de 2021 para serem contratadas e o crédito presumido, poderá ser apurada até o fim de 2026.

 

Imagem em destaque: Reprodução/Agência Brasil