Saúde e Bem Estar

Brasil confirma três casos da Varíola dos macacos em crianças

29 Jul 2022 - 14h55 | Atulizado em 29 Jul 2022 - 14h55
Brasil confirma três casos da Varíola dos macacos em crianças

Nesta semana, foram confirmadas só aqui no Brasil, três casos da varíola dos macacos em crianças. Todas elas já estão sendo monitoradas e tratadas no estado de São Paulo. Segundo uma nota da Secretaria de Saúde da capital, os doentes estão “sendo monitorados e não estão com sinais agravantes da doença”.

Os primeiros casos da monkeypox em crianças foram confirmados nos Estados Unidos e na Holanda, que também estão sofrendo com o surto da doença. Já os casos paulistas, estão sendo acompanhados de perto pela vigilância epidemiológica e não há ainda informações sobre como aconteceu o contato deles com o vírus.

Para os especialistas, esse não é um bom sinal, pois a infecção ter atingido faixas etárias menores, demonstra que há possibilidade para o agravamento tanto da doença como da situação do país. Fora que as crianças por serem mais jovens, entram como pacientes de risco na classificação pelos médicos.


     Pessoa com as lesões da Varíola dos macacos na pele. (Foto: Reprodução/ CDC/Brian W.J. Mahy/ REUTERS).


O Brasil confirmou até esta quinta-feira (28), cerca de 1.066 casos confirmados da varíola dos macacos em todas as regiões. O resultado merece atenção pois, da semana do dia 21, para a seguinte, houve um aumento de 76% no número de infectados, saindo de quase 610 para o índice atual. Outros 510 casos eram suspeitos e mais 600 já foram descartados.

Os três estados que mais contam com infectados são: em primeiro lugar São Paulo, com 823 casos confirmados, ou seja, o estado representa 77% do total do país. Em segundo lugar vem o Rio de Janeiro, com 125 diagnósticos e representando 12% e por último vem Minas Gerais, com 44 confirmações e 4% do total de casos.

A Secretaria de Saúde de São Paulo ainda disse para a equipe da GLOBO, que qualquer sintoma ou alteração no organismo, prontamente a pessoa deve procurar o atendimento em qualquer Unidade Básica de Saúde, pronto-socorro ou um pronto atendimento. Todos os médicos em atendimento já estão treinados para auxiliar no tratamento e na coleta das amostras das lesões causadas pelo vírus para que seja feito os estudos necessários.

Foto Destaque: Ampolas com amostra da Varíola dos macacos. Reprodução/Folha de São Paulo/ UOL/ Dado Ruvic/ Reuters.