Notícias

Brasil não sobrevive sem fertilizantes, por isso aguarda navios russos, fala Bolsonaro

26 Abr 2022 - 17h16 | Atulizado em 26 Abr 2022 - 17h16
Brasil não sobrevive sem fertilizantes, por isso aguarda navios russos, fala Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (PL), nesta terça-feira (26), quando questionado sobre a guerra na Ucrânia, falou que o Brasil está em “uma posição de equilíbrio nessa questão conflituosa, mas não sobrevive sem fertilizantes”.

Ele ressaltou o posicionamento ‘equilibrado’ do governo e a visita que realizou à Rússia pouco tempo antes do conflito iniciar. 


O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, e o presidente da Russia, Vladimir Putin. Foto: Reprodução/Oficial Kremlin/PR


“No momento, temos 27 navios russos navegando para o Brasil para trazer fertilizantes”, comunicou o presidente.

Bolsonaro discursou na abertura da “Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios”, organizada pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), em Brasília.

Além dele, marcaram presença no evento também o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP- Al), e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD- MG). 

O presidente também falou sobre a visita de Ngozi Okonjo-Iweala,  diretora-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC). 

“Há poucos dias recebi a presidente da OMC. Ela veio pedir que exportássemos mais alimentos, porque as consequências da guerra e da pandemia estão se fazendo presentes no mundo todo. Inflação e falta de alimentos”, comentou. 

Ele afirmou que explicou para ela que o Brasil não tem estoques, por esse motivo, não pode exportar mais. “Mas pedi para ela, dada a influência que ela tem junto ao mundo, que não permitisse que o fluxo de fertilizantes fosse cortado. Não só para o Brasil, como no mundo todo”, acrescentou.

Durante a visita, a diretora já havia afirmado que “o mundo não sobrevive sem a agricultura brasileira. Precisamos pensar nos desafios futuros, não só do Brasil, mas do mundo todo”. O Brasil é o quarto maior exportador mundial de grãos (como arroz, cevada, soja, milho e trigo),  ficando atrás apenas da União Europeia, Estados Unidos e China. Além disso, o país é o maior exportador de carne bovina e tem o maior rebanho bovino do mundo, de acordo com a Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas (Sire) da Embrapa.

Foto destaque: Reprodução/Ed Alves/CB/DA.Press