Notícias

Brasil volta para casa com 5 medalhas de ouro ganhas na OLAA 2021

13 Nov 2021 - 20h00 | Atulizado em 13 Nov 2021 - 20h00
Brasil volta para casa com 5 medalhas de ouro ganhas na OLAA 2021

A equipe de cinco brasileiros formada, com a melhor colocação em 2021, por Isabela Pereira Gregio, Leonardo Vellar Augé, Luís Otávio Trotti Martins Guedes de Souza, Paulo Henrique dos Santos Silva e Wesley Antônio Machado Andrade de Aguiar, conquistaram pelo Brasil, cinco medalhas de ouro na 13ª edição da OLAA, a Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica, que em 2021 foi realizada de forma híbrida no Peru entre os dias 25 de outubro e 10 de novembro.

Havia, além do Brasil, mais 16 países na competição, com representantes Argentina, da Bolívia, do Brasil, do Chile, da Colômbia, do Equador, da Guatemala, do México, da Nicarágua, do Panamá, do Paraguai, do Peru, do Uruguai. Costa Rica, El Salvador e Venezuela participaram pela primeira vez. Belize participou apenas como observadores.

https://inmagazine.ig.com.br/post/Trio-de-brasileiras-se-classifica-para-final-de-etapa-do-Skate-Street-nos-EUA

https://inmagazine.ig.com.br/post/Malala-anuncia-casamento-reservado-e-surpreende-seguidores 

https://inmagazine.ig.com.br/post/Confira-o-calendario-para-o-inicio-dos-pagamentos-do-Auxilio-Brasil 

A competição é coordenada por astrônomos de diversos países, existe desde 2009 e iniciou-se no Uruguai. A competição também teve a presença do cosmonauta Alexander Lazutkin, que conversou com os estudantes. Os participantes também puderam assistir sobre a Astronomia Inca, deixar mensagens em um repositório de mensagens chamado Máquina do Tempo e participar virtualmente pelo El Observatoria Solar Chankillo, o observatório astronômico mas antigo das Américas.


(Imagem: Reprodução/Space UNMSM)


A equipe brasileira, liderada por Júlio César Klafke e Eugênio Reis, conquistou a melhor Prova Teórica Individual e a melhor Prova Observacional. Os membros da equipe brasileira, para serem convocados, tiveram que obter a pontuação ideal em provas e testes no OBA – Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, coordenada por membros da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e da Agência Espacial Brasileira (AEB), com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que este ano, por conta da pandemia, foi realizada também de forma híbrida. Este ano, a 24ª edição do OBA, teve 481.525 estudantes de todo o Brasil, inscritos dos ensinos fundamental e médio de 9.085 escolas públicas e particulares.

Imagem em destaque: Reprodução/Galileu