Esportes

Bruno Henrique se diz tranquilo com processo envolvendo marca "Otô Patamá"

16 Out 2021 - 20h22 | Atulizado em 16 Out 2021 - 20h22
Bruno Henrique se diz tranquilo com processo envolvendo marca

O atacante Bruno Henrique utilizou o instagram nesta sexta-feira (15) para se manifestar sobre ação judicial de torcedora do Flamengo pelo uso da expressão “Otô Patamá”. O jogador se diz tranquilo, mas alega ter sido pego de surpresa. Disse ainda que está respaldado juridicamente e que seguirá com as atividades comerciais sem nenhuma intercorrência.


Justiça já indeferiu duas tentativas de liminares da torcedora que visavam suspender o uso do termo pelo atleta (Foto: Marcelo Cortes/Flamengo)


- Meu estafe, assessorado juridicamente, tomou a frente desta ação instrumentalizada por uma pessoa que busca se favorecer de uma expressão popularizada por mim e eu sigo tranquilo, focado exclusivamente em minha recuperação para voltar aos gramados o mais brevemente possível – declarou o atacante.

https://inmagazine.com.br/post/Pogba-cobra-camisa-do-Flamengo-e-expectativa-da-torcida-propoe-reflexao-sobre-mercado-brasileiro

https://inmagazine.com.br/post/Gabigol-e-filmando-enquanto-toma-banho-apos-treino

https://inmagazine.com.br/post/Pedro-e-sonho-do-Palmeiras-mas-negociacao-e-considerada-complexa

- Vale ressaltar que fui pego completamente de surpresa e lamento profundamente a tentativa desta pessoa de se utilizar e se promover financeiramente a partir de uma expressão que se popularizou nas redes sociais após uma entrevista minha durante um clássico em 2019 – continuou o atleta.

Ele finalizou dizendo ainda que “estamos respaldados juridicamente e seguiremos com nossas atividades comerciais sem nenhuma intercorrência” e acrescentou que “a BH27, com muito trabalho e dedicação diária dos envolvidos, vem conquistando seu espaço no ramo de vestuário e seguirá desenvolvendo novas coleções e produtos com meu apoio e incentivo”.



Em sua ação, Josineide Constantino Dantas alega possuir o registro da marca no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Assim, o jogador não poderia utilizá-la no comércio de produtos. Em agosto, os advogados de Bruno Henrique enviaram uma notificação à torcedora, na qual alegaram que ela busca se aproveitar da fama do atleta.

Ainda na notificação, o atacante declarou já ter solicitado registro da marca no INPI três vezes e reclamou seu direito à marca. A ação corre na 1ª Vara Empresarial e Conflitos de Arbitragem de São Paulo e aguarda julgamento.

Foto destaque: Bruno Henrique em partida pelo Flamengo. Alexandre Vidal/Flamengo