Saúde e Bem Estar

COVID-19 está deixando sequelas e preocupa especialistas

09 Mai 2022 - 16h59 | Atulizado em 09 Mai 2022 - 16h59
COVID-19 está deixando sequelas e preocupa especialistas

No início da pandemia, médicos e profissionais da saúde combateram como podiam o vírus da COVID-19. Nesses últimos anos, os avanços da vacina e medidas sanitárias e de isolamento estiveram sendo colocadas em prática para evitar a proliferação desse vírus. 

Entretanto, uma nova ameaça está se fazendo presente e alguns a determinam como “Síndrome pós-COVID”, ou “Long COVID” em inglês. Esses termos estão sendo utilizados para descrever os casos em que a pessoa foi curada da infecção por SARS-CoV-2, mas continua apresentando alguns sintomas ou problemas de saúde relacionados com a infecção.


Vacinas contra a Covid-19 apresentam eficácia (Foto: Reprodução/Instagram)


Com base em estudos recentes, os sintomas pós-COVID são mais comuns em adultos do que em crianças e mais recorrentes em doentes não vacinados do que em pessoas que tomaram a vacina.

“E há outra circunstância: pessoas que podem não ter nada na fase pós-aguda e aparecem com quadros, passado algum tempo, que se encaixam na possibilidade de long covid”, afirma Bernardo Gomes, médico de Saúde Pública, lembrando a definição da Organização Mundial da Saúde (OMS). 

O médico ainda completa que considera por “condição pós-COVID” os sintomas que surgem três meses após infeção, que duram pelo menos dois meses e não podem ser explicados por  diagnóstico. Um dos principais sintomas é a fadiga, dificuldade respiratória e disfunção cognitiva. Contudo, existem outros vários sintomas que também podem fazer pessoas ficarem alertas e procurarem um médico. São eles:

• Dor de cabeça
• Dor de garganta
• Lesões pulmonares
• Dor no peito
• Tosse persistente
• Dor muscular e articular
• Ansiedade
• Depressão
• Insônias
• Dificuldade de concentração
• Névoa mental
• Perda de memória
• Perda de olfato
• Perda de paladar
• Irritações cutâneas
• Perda de apetite
• Vômitos
• Dor abdominal
• Refluxo gastroesofágico
• Diarreia
• Incontinência urinária e fecal
• Alterações no ciclo menstrual
• Queda de cabelo
• Arrepios
• Suor abundante
• Arritmias e palpitações cardíacas
• Inflamação do miocárdio
• Edema dos membros

De acordo com a OMS, para que os sintomas se enquadrem em uma condição “pós-COVID” a pessoa deve apresentar os seguintes critérios:    

• Apresentar sintomas 3 meses após os primeiros sintomas de COVID-19;
• Ter tido uma infecção confirmada ou provável por SARS-CoV-2;
• Ter sintomas ou problemas de saúde que duram por mais de 2 meses;
• Não possuir outro diagnóstico que justifique os sintomas.

Um estudo publicado pela eClinicalMedicine revelou que já foram identificados 203 sintomas associados à long covid e que envolvem 10 órgãos diferentes do corpo humano. O estudo foi feito com dados de 56 países e contou com mais de três mil pessoas. Como resultado, o estudo concluiu que  56 dos 203 sintomas identificados persistiram por sete meses.


Aplicativo e-SUS (Foto: Reprodução/Instagram)


É necessário manter a vacinação em dia, realizar todas as medidas necessárias e sempre estar atento aos sintomas que puder sentir. Procurar um médico é essencial em casos assim.

 

Foto Destaque: BBC News

 

Mais Lidas