Tech

Carros clássicos transformados em elétricos, é um negócio para o futuro

21 Fev 2022 - 16h34 | Atulizado em 21 Fev 2022 - 16h34
Carros clássicos transformados em elétricos, é um negócio para o futuro

A criação de carros elétricos não é mais uma surpresa no meio do automobilismo, muitas empresas têm investido nesse ramo de criação e tendo algumas com somente esse tipo de produção. Agora, além de carros novos sendo feitos com motor elétrico; algumas empresas têm registrado pedidos para a transformação de carros antigos e clássicos em elétricos.

Essa nova tendência tem um crescimento futuro muito promissor, tendo em vista o alto número de comercialização de carros clássicos no mundo e, com a transformação do motor para a forma elétrica ajudará ainda mais nesse tipo de comércio. A General Motors (GM), é uma das empresas que já planeja investir nessa ideia de transformação do carro antigo para elétrico, a empresa estima um faturamento de US$ 20 bilhões no mercado global de veículos elétricos até 2030.


Modelo elétrico da picape Ford F-100 1978 (Foto:Reprodução/QuatroRodas)


A GM já transformou alguns carros clássicos para a forma elétrica, como é o caso do Camaro eCopo e do Chevrolet E-10. A Ford é outra montadora que já iniciou esse processo de eletrificação de carros antigos como é o caso da picape F-100 1978, equipada com o mesmo motor elétrico do Mustang Mach-E GT Performance Edition 2021.

Carros clássicos britânicos também têm tido uma alta demanda para serem transformados em elétricos, como é o caso do Bentley, Jaguar, Ranger Rover, Aston Martin; sendo todos os modelos modificados pela Lunaz, empresa responsável pela eletrificação de veículos. A demanda tem sido tão alta que as carteiras de pedidos para os anos de 2022, 2023 já estão fechadas, e para conseguir lidar com a demanda a Lunaz já aumentou em mais de 400% a força de trabalho no tempo de 12 meses, para 120 funcionários.

O modelo de carros elétricos é ambientalmente sustentável e polui menos que os motores considerados normais, além de precisarem de menos manutenção e praticamente não gerarem nenhum barulho excessivo.

Foto destaque: Modelo carro Aston Martin DB5. Reprodução/AutoEsporte