Saúde e Bem Estar

Casos de depressão e ansiedade aumentam devido à pandemia

10 Out 2021 - 11h11 | Atulizado em 10 Out 2021 - 11h11
Casos de depressão e ansiedade aumentam devido à pandemia

No último sábado (09), foi divulgado pela revista científica The Lancet um estudo que afirma que em 2020 a pandemina do Coronavírus elevou os problemas de depressão e ansiedade em todo o mundo, uma taxa de crescimento de 25%. Esta é a primeira pesquisa a mensurar as causas da pandemia nos casos depressivos clínicos e na ansiedade. O estudo faz divisão por categorias como idade, sexo, localização (204 países e territórios) no ano último ano.


Depressão(Foto:Reprodução/Anemone123 / Pixabay)


As respostas do estudo apresentaram que no ano de 2020 teve um crescimento em 28% dos casos depressivos e 26% nos problemas de ansiedade. O autor da pesquisa é Damien Santomauro, do Centro de Pesquisa em Saúde Mental de Queensland, que fica localizado na Austrália. O profissional aborda que: "Isso ressalta a necessidade urgente de fortalecer os sistemas de saúde" Daniel fala sobre os sistemas de saúde mental dos países: "Mesmo antes da pandemia, os sistemas de saúde mental da maioria dos países tinham poucos recursos e eram desorganizados. Responder a essa demanda extra será difícil, mas é impossível ignorá-la".

https://inmagazine.com.br/post/Pfizer-comeca-a-segunda-entrega-de-doses-em-parceria-com-o-governo-federal

https://inmagazine.com.br/post/Ministerio-da-Saude-preve-novo-plano-de-imunizacao-para-2022

https://inmagazine.com.br/post/Para-tratamento-da-COVID-19-Anvisa-aprova-estudo-com-produto-a-base-de-celulas-tronco

 

Conforme o estudo, homens foram menos afetados do que as mulheres, e os jovens sofreram mais impacto dos que os mais idosos. A coautora da pesquisa, Alize Ferrari, explica essa afirmação do estudo:"A pandemia de Covid-19 exacerbou as muitas desigualdades e determinantes sociais da doença mental.” e ainda acrescenta que: “Infelizmente, por muitas razões, as mulheres foram mais afetadas pelas consequências sociais e econômicas desta pandemia". 

Alize ainda conta que devido às escolas fechadas por conta da pandemia, e algumas outras limitações que acabaram restringindo a habilidade dos jovens de instruir-se e de se relacionar com amigos, mais o crescimento do risco de desemprego, tudo isso, teve um efeito nos jovens, na saúde mental deles.

As respostas obtidas através do estudo, apontam que os países que tiveram mais impactos com a pandemia do Coronavírus são os mesmos que tiveram um maior crescimento nos casos de problemas mentais.

Desse modo, os autores da pesquisa identificam que o estudo teve uma limitação devido à falta de informações confiáveis, de consideráveis regiões do mundo, principalmente onde estão os países de renda baixa e média.

 (Com informações da AFP/G1)

 

(Foto Destaque :Reprodução/Engin Akyurt/Pixabay)