Moda

Chanel: legado da grife na moda é analisado em vídeo exclusivo

21 Out 2021 - 19h27 | Atulizado em 21 Out 2021 - 19h27
Chanel: legado da grife na moda é analisado em vídeo exclusivo

Chanel é um dos nomes que mais representa a moda como ela é conhecida. Seu logotipo com C duplo é marca registrada da Maison e reconhecido no mundo inteiro, assim como os conhecidos “Chanelismos”, o Nº5, as camélias ou a bolsa acolchoada. Neste episódio de Good Morning Vogue, série em vídeo da revista que analisa as últimas novidades do mundo da moda, Anna Wintour e Hamish Bowles são acompanhados por Sofia Coppola, Inez Van Lamsweerde, Vinoodh Matadin e outros enquanto debatem o legado da grife, desde sua fundadora Gabrielle “Coco” Chanel, a marca deixada por Karl Lagerfeld e sua atual diretora criativa Virginie Viard.

 

O C de Chanel

“A Chanel é o seu próprio mundo”, observa Van Lamsweerde, aquele que refletia o gosto requintado da fundadora, que, como sua melhor modelo, foi o rosto da marca. Coco não só mudou os padrões de vestimenta em seu tempo, criando uma forma totalmente nova de expressão através de suas roupas, como também empoderou mulheres a saírem às ruas com roupas com peças tidas como de “uso masculino” na alta moda feminina. Foi a primeira estilista a lançar um perfume: o Eau de Parfum Chanel N°5, uma das fragrâncias mais conhecidas e adoradas até os dias hoje, além de ter sido musa inspiradora do famoso corte de cabelo que leva seu nome e nunca sai de moda. Quando Chanel reabriu a maison em 1953, depois de fechá-la durante a Guerra, seus ternos de lã de tweed, com detalhes elaboradamente enfeitados e bainhas que pesavam como uma corrente, tornaram-se mais uma vez um uniforme do que era considerado chique.



Era Karl

Karl Lagerfeld assumiu o comando da marca em 1983, e trouxe seu toque único para a grife, sem perder o DNA clássico e refinado da fundadora. “Karl”, diz sua amiga íntima e diretora editorial global de Vogue, Anna Wintour, “era o Super-homem”. Lagerfeld foi capaz de absorver os códigos das casas e renova-la com adição de elementos urbanos, bem como seu cativante senso de humor. Foi uma mistura tão emocionante e poderosa que o legado de Lagerfeld se tornou tão importante quanto o de Coco.

 

https://inmagazine.com.br/post/Mulheres-no-topo-Designers-femininas-que-dominam-o-mundo-da-moda

https://inmagazine.com.br/post/Look-anos-70-5-dicas-de-como-usar-a-tendencia-do-momento

https://inmagazine.com.br/post/Megan-Fox-lanca-colecao-sexy-com-pecas-desenhadas-por-ela

 

Chanel 2.0 com Virginie Viard

Em 2019 o mundo se despedia de Lagerfeld, o designer que atuava como diretor criativo da Chanel e da Fendi, além de sua marca própria, teve seu falecimento anunciado pela maison em fevereiro daquele ano. Começou então, a história protagonizada por sua sucessora, Virginie Viard que assumiu o comando da grife. A estilista francesa vem imprimindo sua própria assinatura de forma discreta na marca, uma combinação de feminilidade delicada e uma pegada rock ‘n’ roll. E, como Bowles observa, com Viard no comando, a maison é mais uma vez liderada por uma mulher que cria para outras mulheres. Mulheres no topo.

 

Foto destaque: Virginie Viard. Reprodução/ Anton Corbijn.

 

Mais Lidas