Esportes

Com recorde de público, Portuguesa empata com Rio Claro e volta à elite do Paulistão

10 Abr 2022 - 10h15 | Atulizado em 10 Abr 2022 - 10h15
Com recorde de público, Portuguesa empata com Rio Claro e volta à elite do Paulistão

Após sete anos na Série A2 do Campeonato Paulista, a Portuguesa está de volta à elite do Paulistão. Em um jogo tenso diante do Rio Claro, com recorde de público na edição do torneio, a Lusa empatou com o Rio Claro em 1 a 1, se classificou para a final da A2 e, assim, para o Paulistão 2023. Os gols da partida foram marcados por Gustavo França, para a Portuguesa, e Bruno Moraes, para o Galo Azul. A classificação veio graças a vitória por 1 a 0 no primeiro jogo, em Rio Claro. Agora, a Lusa faz a final com o São Bento, que derrotou o Oeste na outra semifinal. A Federação Paulista de Futebol (FPF) ainda vai definir data, local e horário dos jogos. Com melhor campanha, a Portuguesa faz o segundo jogo em casa.


Essa pode ser o terceiro título do clube na Série A2, vencida anteriormente em 2007 e 2013.
(Foto: Reprodução/Dorival Rosa/Portuguesa)


A partida ocorreu no Canindé, que registrou o recorde de público desta edição da Série A2. O estádio da Lusa contou com a presença de 12.968 torcedores para a semifinal, superando com folga o segundo colocado. Com 4.020 pagantes, o jogo entre Taubaté e Portuguesa era o dono da melhor marca até então.

Essa é a segunda vez consecutiva que o Rio Claro fica pelo caminho na busca pelo acesso. No ano passado, também na semifinal, o time foi eliminado pelo Água Santa. Em ambas as oportunidades, o técnico foi Alberto Félix. A edição de 2023 da Série A2 será a sétima seguida a ser disputada pelo Rio Claro, que jogou o Paulistão pela última vez em 2016. Ainda nesta temporada, o clube pode participar da Copa Paulista, que cede vaga para a Copa do Brasil ou Série D do Brasileirão aos finalistas.

A etapa inicial foi marcada por um Rio Claro muito ofensivo. Precisando do resultado, a equipe lançou-se ao ataque e sufocou a Lusa. Porém, a pressão não surtiu efeito e o ímpeto diminuiu após primeira metade do primeiro tempo. O lance de maior perigo veio do outro lado, aos 29 minutos, com Caio Mancha. Aos 33, Gustavo França recebeu bom passe de Daniel Costa e bateu cruzado para abrir o placar para a Portuguesa. O goleiro Thomazella garantiu a vantagem para a segunda etapa com boas defesas. Ao fim do primeiro tempo, houve um princípio de confusão entre os atletas e a polícia precisou intervir para apartar.

Precisando ainda mais do resultado, o Rio Claro passou a levar mais perigo ao adversário na segunda etapa. Logo no início do segundo tempo, aos 13 minutos, Bruno Moraes recebeu pela esquerda e bateu firme para incendiar a partida. Esse foi seu primeiro gol pelo clube. A resposta da Portuguesa veio aos 25. Após cruzamento de Carlos Henrique, a bola desviou em um defensor, encobriu o goleiro e foi afastada em cima da linha por Sueliton. Aos 33, Pará ficou de frente para Thomazella e perdeu a melhor oportunidade de levar a partida para os pênaltis. Com a ajuda da torcida, a Lusa segurou as investidas ofensivas do Rio Claro e festejou o acesso ao apito final.

Foto destaque: Gustavo França celebra gol da Lusa sobre Rio Claro. Reprodução/Dorival Rosa/Portuguesa)