Notícias

Conheça Francia Márquez, a primeira mulher negra a ocupar a vice-presidência da Colômbia

20 Jun 2022 - 17h00 | Atulizado em 20 Jun 2022 - 17h00
Conheça Francia Márquez, a primeira mulher negra a ocupar a vice-presidência da Colômbia

Francia Márquez, 40 anos, foi eleita ontem, domingo (19) vice-presidente da Colômbia, na chapa de Gustavo Petro, o primeiro presidente de esquerda escolhido pelos colombianos. A advogada e ativista dos direitos humanos e do meio ambiente também marca a história do país, já que é a primeira mulher negra a ocupar o cargo. 

Natural do distrito de La Toma, no oeste da Colômbia, Francia formou-se em direito pela Universidade Santiago de Cali. Antes disso, trabalhou como garimpeira de ouro e como empregada doméstica, serviço que financiou os seus estudos.

Mãe solo de dois filhos, a advogada foi a líder de um movimento popular contra a exploração mineral na região, luta que concedeu a ela o prêmio Goldman, uma espécie de "Nobel do Meio Ambiente", em 2018.

No ano passado, Francia lançou-se como pré-candidata à presidência. Mas no decorrer da campanha, ela se aliou a Gustavo Petro, candidato da esquerda.

Ativista de movimentos sociais, Francia pautou sua campanha na promessa da criação e manutenção de direitos para mulheres, negros, indígenas, camponeses e para a população LGBTQIA+.

Carreira política


Francia Márquez agradece aos colombiano pela vitória. (Foto: Reprodução/Instagram)


"Para mim, ocupar um cargo no Estado não é o fim da trajetória. O fim pra mim é dignificar a vida, é cuidar da vida, é viver em um lugar mais justo e digno para todos. O fim é diminuir a mortalidade negra." Essa é umas das falas de Francia Márquez antes de se unir à chapa de Petro.

Em 2014, como presidente da Associação de Mulheres Afrodescendentes de Yolombó, deu início à "Mobilização das mulheres negras pelo cuidado da vida e dos territórios ancestrais". O movimento mobilizou pessoas desde o norte de Cauca até a capital Bogotá.

Em 2018, após receber o prêmio Goldman, Francia foi candidata à Câmara das Comunidades Afrodescendentes. Três anos depois, a ativista foi líder do comitê nacional de paz, reconciliação e convivência do Conselho Nacional de Paz.

 

Foto em destaque: Francia Márquez. Reprodução/Instagram/Francia Márquez.