Notícias

Contas de luz podem ficar mais caras com o aumento no preço do diesel

17 Mar 2022 - 22h55 | Atulizado em 17 Mar 2022 - 22h55
Contas de luz podem ficar mais caras com o aumento no preço do diesel

O reajuste dos combustíveis anunciado pela Petrobras nos últimos dias provocou uma reação em cadeia no bolso do consumidor da região norte do Brasil. Depois do efeito da alta dos combustíveis e nas prateleiras dos supermercados, a conta de energia elétrica pode ser a próxima a subir com o custo do transporte.

Muitas das usinas que fornecem energia elétrica no Brasil são usinas térmicas, movidas a óleo diesel. E como o diesel aumentou, logo, será mais caro custear o funcionamento dessas usinas. E quem paga essa conta é o consumidor final que paga a conta de luz.

Na Região Norte, onde funcionam as principais usinas térmicas, as distribuidoras já começaram a procurar a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), para tratar do assunto. Como o custo com o aumento do diesel é coberto pelo CCC (Conta de Consumo de Combustíveis), espera-se que em breve ele apareça nas contas de luz.

Contudo, mesmo com o encargo e o aumento, não se espera que este seja tão grande. É o que afirmou o especialista Claudio Sales, presidente do Instituto Acende Brasil.

"É claro que qualquer aumento na conta de luz é relevante e essa situação terá impacto, mas não vejo uma perspectiva de que ocorra um aumento enorme." Declarou o presindente do Instituto Acende Brasil.


Alta no diesel afeta bolso do consumidor. (Reprodução/Amazonas1)


O Brasil possui, atualmente, 165 sistemas isolados de distribuição elétrica, os quais abastecem centenas de cidades localizadas, principalmente, nas regiões Norte e Centro-Oeste, nos Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Mato Grosso. O cenário inclui ainda a ilha de Fernando de Noronha, que pertence a Pernambuco. Em comum, todas essas áreas lidam com o fato de dependerem do óleo diesel e se caracterizarem pelo grande número de usinas de pequeno porte, além da dificuldade de logística para o abastecimento.

"Hoje, a maior dificuldade do setor é ter que lidar com essa volatilidade dos preços de forma constante." Disse Claudio Sales.

Foto destaque: Conta de energia elétrica pode ficar ainda mais cara. Reprodução/Tribuna Jundiaí.

Mais Lidas