Saúde e Bem Estar

Coreia do Norte, mesmo em um surto de Covid, envia aviões de carga à China

20 Mai 2022 - 14h50 | Atulizado em 20 Mai 2022 - 14h50
Coreia do Norte, mesmo em um surto de Covid, envia aviões de carga à China

A Coreia do Norte, que está passando por um surto de Covid-19 que está se espalhando rapidamente pelo país, enviou três aviões cargueiros para a China na segunda-feira (16). Os aviões seguiram para o Aeroporto Internacional de Taoxian, província de Liaoning, no Nordeste da China.

Ainda não foi divulgado o conteúdo das cargas transportadas na viagem, porém sabe-se que esta viagem ocorreu depois que a China se comprometeu a ajudar a Coreia do Norte no enfrentamento do surto contra a Covid-19 e que segundo especialistas, essa crise pode agravar a situação do país que se isolou e não possui uma economia tão fortalecida.

Desde que foi declarada mundialmente a pandemia de Coronavírus, a Coreia do Norte logo fechou todas suas fronteiras já em janeiro de 2020, porém mesmo com toda a proteção, o vírus conseguiu furar a barreira e desde 12 de maio, já foram confirmados cerca de dois milhões de casos de “febre” na população coreana e as autoridades locais já tratam este momento como “grande emergência nacional”.


Foto: Kim Jong-Un e os soldados norte coreanos/Reprodução: DefesaNet


Todas as cidades e estados coreanos estão sob lockdown e o líder norte coreano, Kim Jong Un, mobilizou a tropa de militares, por meio da Politburo (um comitê dos partidos comunistas) para ajudar no fornecimento dos medicamentos para a capital Pyongyang. Mesmo segundo rigorosos protocolos sanitários, foram constatadas pelo menos seis mortes pela infecção de Covid-19 em todo o território coreano.

Quando os primeiros casos de infecção foram anunciados, a China disse estar pronta para dar total apoio aos seus “camaradas, vizinhos e amigos” da Coreia do Norte. Segundo o Ministério das Relações Exteriores chinês, os países têm "uma boa relação de assistência de ambas partes". O fator que comprova essa relação é que quando a China fez um acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre doar vacinas para todos os países do mundo, o Covax, um dos destinos era a Coreia do Norte.

O problema é que o governo coreano recusou esta oferta, não criando um planejamento para a criação e o início da campanha de vacinação em massa contra o vírus da Covid-19. Também pesa o fato que o sistema de saúde pública coreano está em ruínas e necessita de medicamentos para combater este vírus. A Coreia do Sul também ofereceu ajuda como remédios, vacinas e outras necessidades básicas, mas não recebeu resposta.

 

Foto Destaque: Líder coreano Kim Jong-Un e os soldados da Coreia do Norte/Reprodução: Estado de Minas