Saúde e Bem Estar

Covid-19: Alta dos casos em São Paulo faz escolas voltarem a exigir máscaras

08 Mai 2022 - 21h30 | Atulizado em 08 Mai 2022 - 21h30
Covid-19: Alta dos casos em São Paulo faz escolas voltarem a exigir máscaras

O alto índice de resultados positivos de Covid-19 em testes de farmácias e laboratórios é um sinal da nova alta da circulação do vírus, após ter acontecido uma queda temporária nos casos. De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), existem riscos de novas ondas, mas o nível de agravamento será menor, devido à vacinação. No estado de São Paulo, foi registrado novamente nas escolas vários estudantes contaminados e, por esse motivo, voltaram a obrigar o uso de máscaras.  

Entre as causas, estão o retorno das festas de rua, aniversários, confraternização e a redução do uso de máscaras, que em alguns locais não são mais obrigatório.  Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, nos últimos três dias a capital paulista registrou um aumento de 5,6% no número de infectados, considerando a redução da testagem. Este aumento também é consequência das aglomerações e viagens nos feriados de Semana Santa e Tiradentes, onde aconteceu um Carnaval fora de época. 

O diretor da Escola Nossa Senhora da Graça, localizada no Itaim Bibi, zona sul, Wagner Borja,  falou para a CNN que as aulas foram suspensas no ensino médio e que o número de casos nesta idade está relacionado às confraternizações. “Tivemos um aumento de casos em meados de abril, chegamos a suspender as atividades presenciais por três dias, antes do feriado da Páscoa. Retomamos a obrigatoriedade do uso de máscaras em sala. Após essas medidas, houve um retorno para o patamar anterior”, contou ele.


Alunos com máscaras. Foto: Reprodução/EPTV


Na capital paulista, o Colégio Stocco, de Santo André, ofereceu assistência para professores e alunos que não podem ir devido o Covid tenham acesso online ao que é passado em sala de aula. Atualmente, somente um aluno estava contaminado e, por esse motivo, fez a prova online em casa. A direção contou que “a máscara não é mais obrigatória, mas boa parte da comunidade escolar prefere continuar utilizando-a. Outras ações de higiene tornaram-se habituais e continuam sendo fortalecidas, tais como o uso de álcool em gel e lavagem permanente das mãos”.  “As enfermeiras do colégio estão sempre atentas a qualquer sintoma que possa inspirar cuidados e as famílias são imediatamente contatadas, a fim de que possam tomar providências e realizar o exame para descartar Covid e comunicar ao colégio”, acrescentou.

Foto destaque: Reprodução/Pedro Amora/Prefeitura de Jundiaí