Notícias

Crianças poderão ser vacinadas, mas certos requisitos deverão ser cumpridos.

24 Dez 2021 - 11h06 | Atulizado em 24 Dez 2021 - 11h06
Crianças poderão ser vacinadas, mas certos requisitos deverão ser cumpridos.

Com os avanços da COVID-19, a preocupação para com a saúde da população é assunto crescente no debate público. Recentemente, desde que a variante Ômicron começou a despontar como uma ameaça, a discussão se estendeu à idealização de uma campanha vacinal voltada a crianças.

 Como se o assunto já não tivesse causado polêmica o suficiente em relação ao controle da doença entre a população adulta e/ou idosa, a possibilidade de ampliar o alcance de sua neutralização parecia ainda distante para o país. No entanto, o ministro da saúde Marcelo Queiroga, que sucedeu a gestão conturbada de Eduardo Pazuello a partir deste ano, disse ter interesse em permitir esse avanço desde que certas medidas sejam acatadas.

Primeiramente, a faixa estabelecida será entre as idades de 5 a 11 anos. Será necessária a prescrição de um profissional da área médica, além do consentimento e responsabilização dos pais.


                                                                Adolescente é vacinado em Dublin, Irlanda. Foto: Reprodução/BBC


A própria vacina deverá também se submeter a diferenças essenciais à aplicada entre outros grupos. O Governo Federal deverá comprar dosagens e frascos diferentes em uma versão especial do produto, mas o princípio ativo do medicamento é o mesmo.

Segundo o G1, “a Pfizer disse que a vacina é segura e mais de 90,7% eficaz na prevenção de infecções em crianças de 5 a 11 anos”.

É importante reiterar que a deliberação é uma mudança significante no discurso do ministro, que havia insistido em não haver emergência para tal movimento por parte das autoridades. Ainda com base no que foi dito à plataforma citada acima, o ministro havia afirmado:

"Os óbitos de crianças estão dentro de uma patamar que não implica em decisões emergenciais. Ou seja, isso aqui favorece que o ministério tomar uma decisão baseada em evidência científica de qualidade, na questão da segurança, na questão da eficácia e da efetividade"

Governo Bolsonaro planeja pagamento de auxílio gás ainda este ano

Vacina temos, falta adesão: estados brasileiros estão rejeitando doses Pfizer por causa de baixa aplicação.

França se junta a outros países e começa a imunizar crianças de 5 a 11 anos contra a Covid

A publicação oficial a respeito da nova posição ainda não foi publicada.

 

Foto Destaque: Marcelo Queiroga em entrevista a TV Tem. Foto: Reprodução/TV Tem/G1