Money

De acordo com FMI o Brasil tem perspectiva de melhora este ano mas não em 2023

19 Abr 2022 - 21h48 | Atulizado em 19 Abr 2022 - 21h48
De acordo com FMI o Brasil tem perspectiva de melhora este ano mas não em 2023

O Fundo Monetário Internacional (FMI) recentemente atualizou os dados do relatório sobre a "Perspectiva Econômica Global" e projeta crescimento em 0,8% para o Brasil nesse ano porém o crescimento não acontece em 2023, seguindo o relatório. De acordo com o FMI, em 2023 o cenário piorará alertando inclusive para os impactos da inflação que a população brasileira poderá sofrer. 

Essa é a primeira atualização do relatório "Perspectiva Econômica Global" após a invasão da Ucrânia pela Rússia em janeiro. Na ocasião, o FMI tinha projetado um crescimento do Produto Interno Brasileiro em 0,3% para o Brasil. 

Em contrapartida, já a perspectiva para o próximo ano não é favorável, ainda seguindo as conclusões preliminares do relatório é visto que o PIB do Brasil sofrerá recuo de 0,2 ponto percentual. O FMI está bem mais pessimista do que o Ministério da Economia, que projeta que a economia brasileira irá crescer 1,5% este ano, indo a 2,5% em 2023.


Impactos da Guerra entre Ucrânia e Rússia. (Foto:Reprodução/Twitter)


Comparando o Brasil com outros países da América Latina e Caribe, os números apresentados são menos otimistas de acordo com o FMI, totalizando um aumento de apenas 2,5% entre esse ano e ano que vem. 

Para o FMI, ainda que a região da América Latina e do Caribe tenha menos conexões diretas com a Europa, que sofre com a guerra na Ucrânia, também deve ser mais afetada por inflação e aperto da política monetária.

“O Brasil respondeu à inflação mais alta elevando os juros em 9,75 pontos percentuais ao longo do último ano, o que pesará sobre a demanda doméstica”, disse o Fundo no relatório.

Dentre todo o cenário nada agradável, uma das grandes preocupações do governo brasileiro é a inflação. A estimativa pelo Fundo Monetário Internacional é que ainda nesse ano a inflação chegue a 8,3% e de 5,1% ano que vem. 

Outro problema que impacta a população brasileira e consequentemente os números no relatório é a taxa de desemprego que segundo o FMI chega à 13,7% esse ano e 12,9% em 2023. 

 

Imagem em destaque: FMI. Johannes P. Christo/REUTERS