Notícias

Desemprego cai para 13,7% aponta Ipea

29 Set 2021 - 09h32 | Atulizado em 29 Set 2021 - 09h32
Desemprego cai para 13,7% aponta Ipea

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) divulgou nesta segunda-feira (27), no Rio de Janeiro, os dados do desemprego no Brasil. O recuo foi de 13,7% em junho, último mês do trimestre móvel que se iniciou em abril e este percentual se comparado com o mês de março em que o índice de encerramento do trimestre chegou a atingir 15,1% demonstra uma leve recuperação do mercado de trabalho.

Conforme aponta a pesquisa, os setores que registraram alta nas contratações foram o da construção, com um aumento de 19,6% de alta ao ano da população desse setor, seguido da agricultura com 11,8% e dos serviços domésticos com 9%. São os que empregam mais mão de obra informal relativamente.


Com desemprego em alta, muitos brasileiros saíram para pedir ajuda (Foto: Reprodução/Sérgio Lima/Poder360)


Outro dado divulgado pelo IPEA menciona que no segundo semestre de 2021, os empregados sem carteira assinada no setor privado, expandiu e atingiu 16% dos trabalhadores, enquanto dos que trabalham por conta própria, o índice foi de 14,7%. Os dados da PNAD Contínua, responsável pelas pesquisas nos domicílios, registram o aumento do emprego no segundo trimestre em todos os segmentos da população comparado com o mesmo período do ano anterior. Os que se destacam são as mulheres com 2,2%, seguido dos jovens (11,8%) e trabalhadores que concluíram o ensino médio (7%).

 

Em entrevista à Agência Brasil, a pesquisadora do Grupo Conjuntura do Ipea, Maria Andréia Lameira disse: 

 

"Deu uma melhorada. É uma coisa que a gente já estava vendo no início do segundo trimestre. O desemprego está caindo porque a ocupação está crescendo. A ocupação está voltando e a gente está conseguindo uma redução do desemprego em um ambiente de aumento de PEA [População Economicamente Ativa]. Todas aquelas pessoas que saíram do mercado de trabalho por conta da pandemia estão voltando a procurar emprego. Mesmo com essa população voltando, ainda assim a gente está conseguindo reduzir o desemprego porque a ocupação está subindo”.

 

https://inmagazine.com.br/post/Oticas-Gassi-inaugura-a-maior-loja-da-America-Latina-e-se-torna-a-preferida-entre-os-consumidores

https://inmagazine.com.br/post/Rayani-Immediato-3-negocios-antes-dos-30-O-Digital-me-deu-a-liberdade-de-difundir-conhecimento-de-qualquer-lugar

https://inmagazine.com.br/post/Taliba-toma-o-controle-do-Afeganistao-e-anuncia-volta-de-principios-estabelecidos-em-1996

 

Maria Andréia complementa dizendo sobre a manutenção do auxílio emergencial e o quanto isso pode afetar em relação a uma descompressão na População Economicamente Ativa (PEA). Sobre isso ela diz: 

 

“Ainda assim vai ter uma PEA crescendo, só que de uma maneira um pouco mais suave, e a volta ao mercado de trabalho pode ser adiada por dois ou três meses, lembrando que mesmo que reduza, a gente ainda vai ter uma taxa de desemprego alta, porque ainda tem um contingente de trabalhadores desempregados, um emprego informal sem nenhum tipo de proteção e não está contribuindo para a Previdência”

 

Finalizando, acrescenta que o emprego informal reflete no consumo, pois o trabalhador nessas condições não vai arriscar na hora da compra, por exemplo, por adquirir bens de consumo duráveis. 


Foto destaque: Espera por uma vaga de emprego no Brasil. Reprodução/G1

Mais Lidas