Notícias

Desfile das escolas de samba do grupo especial do Rio de Janeiro começa hoje

22 Abr 2022 - 16h00 | Atulizado em 22 Abr 2022 - 16h00
Desfile das escolas de samba do grupo especial do Rio de Janeiro começa hoje

Começa na noite de hoje (22), o desfile na Marquês de Sapucaí das escolas de samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro, após dois anos sem apresentações na grande passarela do samba, em razão da pandemia de COVID-19.

Como de costume nos últimos anos, os desfiles serão divididos em dois dias e doze escolas disputam o título de grande campeã do carnaval 2022. Na madrugada de sexta-feira passarão pela avenida as primeiras seis escolas e de sábado para domingo mais seis.

A abre-alas será a Imperatriz

Quem abre os desfiles é a escola Imperatriz Leopoldinense, que está retornando ao Grupo Especial este ano depois de ser campeã do Grupo de Acesso em 2020. O enredo escolhido foi para homenagem ao carnavalesco Arlindo Rodrigues.

Logo em seguida entra na Sapucaí a Mangueira, que possuí 20 títulos e foi a primeira campeã do carnaval do Rio. Este ano a Estação Primeira vem com enredo que homenageará três figuras históricas do samba da própria escola: Carlota, Jamelão e Delegado.

A Acadêmicos do Salgueiro, agremiação do bairro da Tijuca, será a terceira escola e vem com enredo sobre a resistência da cultura negra no Rio de Janeiro. Trazendo para a avenida uma ala com 20 refugiados de cinco nacionalidades diferentes.

A São Clemente, quarta escola a desfilar, está em busca do título inédito do carnaval, com homenagem ao ator e humorista, que faleceu em 2021, vítima de COVID-19, Paulo Gustavo. Levando para homenagem alguns artistas amigos do humorista como Marcus Majella, Tatá Werneck, Ingrid Guimarães e marido viúvo do comediante Thales Bretas.


Paulo Gustavo foi uma das vítimas da COVID-19 em 2021 (Foto:Reprodução/SãoClemente)


A Viradouro, escola de Niterói, que busca a terceira vitória no carnaval, vai entrar na avenida fazendo um aceno ao carnaval de 1919, logo após a pandemia da gripe espanhola.

E para encerrar o primeiro dia dos desfiles vem a Beija-Flor de Nilópolis, que irá levar para a avenida um enredo que também falará sobre a cultura negra, mais precisamente sobre a contribuição intelectual dela para o Brasil.

 

Foto Destaque:Reprodução/ODia.

 

Mais Lidas