Notícias

Desmatamento na Amazônia atinge novo recorde em outubro

14 Nov 2021 - 16h21 | Atulizado em 14 Nov 2021 - 16h21
Desmatamento na Amazônia atinge novo recorde em outubro

Foram divulgados nesse sexta-feira (12) através do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), Órgão do Ministério de Ciência e tecnologia, os dados que comprovam o crescimento de desmatamento da Amazônia em outubro de 2021. Houve um aumento de 5% se comparado a outubro de 2020. E foi a maior registro para o mês de outubro nos últimos 7 anos.

 

Foram no total 877 KM² de devastações causadas na floresta Amazônica superando os 836 KM² atingidos no ano passado e o maior de todos no mês de outubro desde o início da série histórica acompanhamento do Deter (Sistemas de alerta do Inpe) iniciado em 2016.

 

A situação preocupante não abalou os responsáveis pelo ministério do meio ambiente já que na recente COP26 (Conferência das Nações Unidas Sobre as Mudanças Climática em 2021) realizada em Glasgow, na Escócia. Os representantes do Brasil afirmaram que irão acabar com o desmatamento ilegal até 2028 reduzindo as emissões de metano. Ignorando os dados divulgados pelo INPE.

https://inmagazine.ig.com.br/post/Brasil-volta-para-casa-com-5-medalhas-de-ouro-ganhas-na-OLAA-2021

https://inmagazine.ig.com.br/post/Entenda-sobre-impacto-global-iminente-causado-pela-inflacao-na-China

https://inmagazine.ig.com.br/post/Confira-o-calendario-para-o-inicio-dos-pagamentos-do-Auxilio-Brasil

 

Márcio Astrini, Secretário executivo do Observatório do Clima, não parece otimista com o posicionamento do governo na conferência.

 

“Os números trazem a verdade do que está acontecendo no Brasil, não adianta vir aqui na conferência e assinar papéis, fazer discursos. Enquanto o chão da floresta, que é o que interessa, para as agendas de clima do Brasil o desmatamento continua extremamente auto, esses números são inclusive recordes históricos de desmatamento. E eles desmentem todo discurso realizado pelo ministro do meio ambiente aqui”. Argumentou o secretário em entrevista.

 

Romulo Batista o porta-voz da campanha Amazônia do Greenpeace, também acredita que os discursos do ministério são contraditórios com a realidade no país.

 

"Enquanto o governo federal tenta vender o Brasil como potência verde na COP, a verdade é que o desmatamento em outubro bateu mais um recorde e vem sendo impulsionado pela política antiambiental do presidente, do Ministério do Meio Ambiente, com apoio de parte do Congresso". Afirmou o Biólogo

 

A Amazônia representa cerca de 59% do território brasileiro e engloba 8 estados no total: Amazonas, Acre, Amapá, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, e parte do Maranhão.


Imagem: (Deter/INPE/Divulgação). 


 

No Pará o desmatamento corresponde a mais de 50% de área na Amazônia foram no total 502 km², enquanto o Amazonas corresponde a 116 km² e o Mato Grosso com 105 km².

 

Foto destaque: CARL DE SOUZA//AFP