Notícias

EUA deixam de exigir máscaras no transporte público

19 Abr 2022 - 11h50 | Atulizado em 19 Abr 2022 - 11h50
EUA deixam de exigir máscaras no transporte público

A juíza Kathryn Kimball Mizelle derrubou a obrigatoriedade das máscara e afirmou que autoridades de saúde excederam as suas competências. Com a decisão, os passageiros de voos não precisarão mais delas no transporte. Nesta segunda-feira (19) o governo de Joe Biden afirmou que não vai mais exigir o uso de máscara em aviões, ônibus e trens, assim como aeroportos e estações – uma das principais ações adotadas no EUA para combater a pandemia de coronavírus. A informação foi trazida após a juíza da Flórida revogar a diretiva nacional que regulamentava a obrigatoriedade da proteção no país.


Kathryn Kimball Mizelle disse que a decisão do Centro para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) de determinar a obrigatoriedade do uso de máscara em espaços públicos “excede a autoridade legal” da agência de saúde pública. Dessa forma, ela revogou o decreto nacional que regulamentava a medida.

Na última semana, o governo Biden tinha prorrogado até o dia 3 de maio a obrigatoriedade do uso de máscara aviões, ônibus, trens, táxis, carros de aplicativo, aeroportos e estações, argumentando que era preciso mais tempo para avaliar o impacto do recente aumento de casos de covid no país. O decreto estava em vigor há 14 meses.


EUA deixam de exigir uso de máscara no transporte público. (Foto: Reprodução/Pixabay)


A decisão foi considerada decepcionante pela Casa Branca, que mesmo assim afirmou que a decisão será cumprida, podendo ainda recorrer da sentença. Apesar disso, o CDC ressaltou que continua recomendando a todos o uso de máscaras em ambientes internos públicos.

Na norma federal era permitido a aplicação de multas, que variavam entre 500 e 3 mil dólares, para pessoas que se recusassem a usar máscara durante as viagens. Após pressão dos diretores das dez principais companhias aéreas dos EUA com voos internacionais, pedindo que fosse revogado a ordem por parte do Biden, as empresas áreas e de trem relaxaram as restrições em vigor de imediato.

Foto Destaque: Reprodução/Getty Images