Notícias

EUA não recomenda aos cidadãos viagens a países europeus

23 Nov 2021 - 18h00 | Atulizado em 23 Nov 2021 - 18h00
EUA não recomenda aos cidadãos viagens a países europeus

Nesta segunda, 22, o Departamento de Estado dos Estados Unidos pediu para que seus cidadãos não realizem viagens a dois dos países europeus com alto nível de contágio pela covid-19. Foi emitido pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) o alerta de viagens nível 4, o mais alto. São esses países: Dinamarca e Alemanha. 

 

"Não viaje à Alemanha devido à covid-19", alerta o site governamental, publicado nesta segunda-feira. 

 

O aviso também se estende para a Dinamarca, incluída na categoria:  Existem restrições que afetam a entrada de cidadãos americanos à Dinamarca”. 

 

O alerta publicado ocorreu logo após as recomendações do CDC.  "Se você precisar viajar à Alemanha, certifique-se de que você está completamente vacinado antes de viajar.", diz o CDC aos cidadãos. 

 

Também foi alertado pelo órgão que, devido à situação atual da Alemanha, mesmo estando completamente vacinados, os viajantes ainda arriscam contraírem e disseminarem as variantes do vírus.

 

No total, 13 países do continente europeu foram incluídos nos últimos dias à lista de destinos a serem evitados. Entre esses 13, estão Bélgica, Hungria, Croácia, Holanda e Áustria. 

 


 

Placa sinaliza a entrada apenas para vacinados ou recuperados da covid-19 (Foto: Reprodução/Reuters/Fabian Bimmer/Isto é Dinheiro)


 

Pela lenta adesão à vacina em alguns países, a variante delta tornou a Europa, novamente, o epicentro da pandemia, junto a um clima frio, fazendo com que mais pessoas fiquem em lugares fechados, juntas. 

 

“Provavelmente no fim deste inverno (no hemisfério norte), como às vezes se diz clinicamente, quase todos na Alemanha estarão vacinados, curados ou mortos”afirmou Jens Spahn, ministro da Saúde alemãopedindo aos cidadãos para que se vacinem. 

 

No país mais populoso UE, Alemanha, onde só 68% da população está totalmente vacinada e imunizada, todos os adultos vacinados foram solicitados a tomarem a dose de reforço, terceira dose, para não deixar a eficácia da vacina diminuir, o que ocorre após seis meses.  

 

O país passa pela quarta e mais dura onda de covid-19, com os números de vacinados estagnados há algumas semanas. Segundo especialistas, para que a pandemia seja controlada, será necessário um alto percentual de imunização, passando dos 75%. 

 

Angela Merkel, chanceler em fim de mandato, não descartou medidas mais rígidas, que já incluem a proibição em certos espaços públicos, àqueles que ainda não se vacinaram e deixando claro que as restrições atuais para conter o vírus, “não são suficientes”. 

 

As regiões mais afetadas da Alemanha fez com que as autoridades ordenassem mais fechamentos, como os tradicionais mercados natalinos, devido ao rápido aumento no número de leitos nas unidades de terapia intensiva. 

 

 

Foto Destaque: Reprodução/Isto é - AFP