Tech

Elon Musk suspende temporariamente a compra do Twitter

13 Mai 2022 - 14h53 | Atulizado em 13 Mai 2022 - 14h53
Elon Musk suspende temporariamente a compra do Twitter

Nesta terça-feira (13), Elon Musk anunciou a suspensão da sua oferta para a compra do Twitter, que foi feita semanas atrás, em abril, acordado em $ 44 bilhões de dólares.

A publicação foi em sua conta na rede social, e disse que está no aguardo dos cálculos detalhados em relação aos números de usuário que têm páginas fakes. A espera se dá pela confirmação de haver menos de 5% de perfis desse tipo na plataforma.

O acordo do Twitter foi suspenso temporariamente para aguardar os detalhes pendentes que apoiam o cálculo de que contas spam/falsas representam de fato menos de 5% dos usuários”, tuitou o bilionário.

Com o anúncio, as ações da rede social nas negociações eletrônicas prévias à abertura da Bolsa de Wall Street, nos Estados Unidos, caíram 20%.

A estimativa da empresa durante o primeiro trimestre, era que menos de 5% de seus usuários ativos diários, os monetizáveis, representavam contas falsas ou de spam. A operação é por vontade do bilionário, já que uma de suas prioridades seria remover os “bots de spam” do Twitter.


Elon Musk promete trazer 931 milhões de usuários ao Twitter até 2028, segundo The New York Times. (Reprodução/Mike Blake/Reuters)


Outras adversidades para a negociação ser fechada são apontadas, como as questões dos anunciantes e os investimentos na rede social. Riscos que enfrentarão se o acordo for realizado.

Semanas antes da sinalizado em abril, Musk havia adiquirido 9,2% das ações, sendo o maior acionista da empresa. Na época, já falava na criação de um projeto de rede social sem algoritmos e que valorizasse a liberdade de expressão.

Como dono do Twitter, Elon Musk pensava em algumas mudanças, como o afrouxamento de mecanismos de moderação; a abertura do algoritmo da plataforma; a redução da atuação de bots e perfis automatizados; e o aumento da possibilidade de monetização de conteúdos na rede.

Além de indicar que contas empresariais e governamentais teriam que pagar uma taxa para manter as contas no Twitter.

Foto destaque: Homem mais rico do mundo, Elon Musk. Reprodução/Getty Images